Inspiração

O corpo como discurso político e a nudez como forma de protesto

por: Vitor Paiva

Foi pensando no futuro da própria filha que o fotógrafo Spencer Tunick planejou seu próximo projeto: reunir uma centena de mulheres para posarem nuas em Cleveland, diante da convenção do Partido Republicano – que anunciará oficialmente a candidatura de Donald Trump à presidência dos EUA. “[o projeto] é por minha filha e seu futuro, para que ela não cresça em uma sociedade cheia de ódio, com menos violência contra a mulher e oportunidades iguais”, ele diz, referindo-se ao conservadorismo caricato e misógino dos discursos de ódio do candidato republicano.

Intitulado, em inglês, “Tudo que ela diz significa tudo”, o projeto teve enorme adesão – mais de 1500 mulheres se ofereceram para posar. Spencer é conhecido por seu trabalho com multidões nuas por todo o mundo, por pautas progressistas.

Nudez3

Uma das participantes explicou com clareza seu desejo de participar: “Como mulher, eu quero lutar pelo meu direito sobre meu corpo e meu aparelho reprodutor. Como hispânica, quero ser vista como membro dessa comunidade. Como a primeira geração de americanos da minha família. Como ser humano, quero me colocar contra Trump e outros republicanos cujo discursos de ódio contra mulheres, imigrantes, pessoas LGBT e tantos outros está envenenando esse país”.

Dois trabalhos anteriores de Spencer Dois trabalhos anteriores de Spencer

Por motivos ao mesmo tempo óbvios e misteriosos, lidamos com a nudez como um tabu, um interdito, algo moralmente ameaçador e de força simbólica subversiva – algo supostamente frágil mas, ao mesmo tempo, potencialmente bastante poderoso. Em se tratando de pautas progressista, a nudez como forma no mínimo de atrair atenção possui forte eficácia. Por isso, são diversos os exemplos a que se junta o projeto de Tunick.

Nudez7

Acima: Corrida dos nus, na Espanha, contra a Corrdia dos Touros; abaixo: protesto contra a mesma corrida Acima: Corrida dos nus, na Espanha, contra a Corrdia dos Touros; abaixo: protesto contra a mesma corrida

O PETA, grupo pelos direitos animais, se despe com frequência em seus atos, e realiza anualmente a Corrida dos Nus, em paródia à corrida dos touros, em Pamplona, na Espanha. Grupos como Greenpeace também se valem do ato de tirar a roupa em pública em suas atuações.

Protesto do Greenpeace nos alpes suíços contra o aquecimento global Protesto do Greenpeace nos alpes suíços contra o aquecimento global

Para além dos protestos que advogam em favor da própria nudez, naturalmente que em causas que têm o corpo como parte da pauta a nudez funciona diretamente enquanto símbolo da luta. Censura, direitos LGBT, violência contra mulheres e LGBTs, liberação do aborto e o feminismo de maneira geral são exemplos de lutas em que o corpo nu é transformado em arma simbólica e discursiva. Por isso a Marcha das Vadias, evento feminista que acontece em todo mundo, ou grupos como Femen costumam se valer do corpo nu como forma de serem vistos e amplificar o discurso.

Nudez20

Nudez22

Ativistas do grupo feminista de origem ucraniana Femen (acima, em protesto contra o aborto; abaixo, contra a censura no Facebook) Ativistas do grupo feminista de origem ucraniana Femen (acima, em protesto contra o aborto; abaixo, contra a censura no Facebook)

A nudez dos hippies eram também utilizada como forma de significar o desejo libertário do movimento.

Nudez1

Acima: hippies no célebre festival de Woodstock; abaixo: capa do disco Unfinished Music nº 1: Two Virgins, de John Lennon e Yoko Ono Acima: hippies no célebre festival de Woodstock; abaixo: capa do disco Unfinished Music nº 1: Two Virgins, de John Lennon e Yoko Ono

As fotos da atriz Leila Diniz grávida e de biquini escandalizaram o Brasil no final dos anos 1960, e tornaram-se um marco na luta feminista As fotos da atriz Leila Diniz grávida e de biquini escandalizaram o Brasil no final dos anos 1960, e tornaram-se um marco na luta feminista

Curiosamente, um dos mais antigos protestos nus que se tem notícia vêm de um grupo cristão, os Doukhobor, de origem russa, na virada do século XIX para o XX. Os Doukhobor viviam em comunidades, rejeitavam o materialismo e o autoritarismo do czar russo, eram uma espécie de anarquistas cristãos, e acabaram por serem expulsos do país, e enviados ao Canadá. Lá, uma facção dentro do grupo passou a protestar contra o governo canadense usando a nudez. Tendo acontecido até os anos 1970, primeiros protestos do grupo, porém aconteceram impressionantemente em 1902.

Nudez29

Os russos cristãos do Doukhobor, no início do século XX Os russos cristãos do Doukhobor, no início do século XX

Ainda que controversa sobre sua real eficiência (ou sobre o desvio de foco do assunto em questão para a nudez simplesmente) o uso do corpo como instrumento de protesto inegavelmente expõe o tabu que ainda a própria nudez é, a maneira conservadora e desigual com que, de maneira geral, tratamos a exposição de certas partes nuas de nossos corpos, e que fomentam ou significam indiretamente muitos dos motivos pelos quais os protestos se dão.

Os protestos acontecem também nas redes sociiais, como esse da fotógrafa Júlia Rodrigues, contra a censura do corpo feminino no Facebook Os protestos acontecem também nas redes sociiais, como esse da fotógrafa Júlia Rodrigues, contra a censura do corpo feminino no Facebook Em Buenos Aires, ativista protestam contra lei que dificulta o parto em casa Em Buenos Aires, ativista protestam contra lei que dificulta o parto em casa

Nudez25

Nudez24

Mulheres em algumas das Marchas das Vadias, que acontecem por todo o mundo Mulheres em algumas das Marchas das Vadias, que acontecem por todo o mundo

Nudez21

Protestos do grupo Anima Naturalis, contra os maus tratos aos animais, a indústria da carne e pelo vegetarianismo Protestos do grupo Anima Naturalis, contra os maus tratos aos animais, a indústria da carne e pelo vegetarianismo

Ato pela liberdade da nudez, no Parque do Ibirapuera, em SP Ato pela liberdade da nudez, no Parque do Ibirapuera, em SP

Protesto contra a proibição do Topless em Ipanema, no Rio de Janeiro Protesto contra a proibição do Topless em Ipanema, no Rio de Janeiro

Ativistas do grupo Bastardxs, contra declarações homofóbicas feitas por Levy Fidelix e pelo estado laico Ativistas do grupo Bastardxs, contra declarações homofóbicas feitas por Levy Fidelix e pelo estado laico

Socialite que posou nua em protesto contra o governo Dilma Socialite que posou nua em protesto contra o governo Dilma

Pedalada Pelada, ato que acontece em todo o país contra a fragilidade dos meios de transporte não motorizados, pelo respeito ao ciclista e a aceitação da nudez Pedalada Pelada, ato que acontece em todo o país contra a fragilidade dos meios de transporte não motorizados, pelo respeito ao ciclista e a aceitação da nudez

Seja como for, todo corpo é belo, natural, forte, político e essencial ao ser humano – estamos todos nus por debaixo dos panos, afinal.

© fotos: divulgação

Relembre o Especial Topless, sobre o tabu dos mamilos no país do fio dental, publicado pelo Hypeness.

Publicidade


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
12 filmes para reunir todos os tipos de família nessa quarentena