Inspiração

Professor inventa atividade para que ele e seus alunos se conhecessem melhor e o resultado é emocionante

por: Redação Hypeness

Publicidade Anuncie

Tudo começou com uma história comum na vida de um professor: a dificuldade em compreender a verdadeira realidade de seus alunos. Para isso ele sugeriu uma proposta simples e muito eficaz: convidou outros educares para completar a frase: “eu gostaria que meus alunos soubessem…”. E o resultado é profundo e inspirador!

O educador e escritor brasileiro André Gravata inspirou-se na ação da educadora da Escola Elementar Doull, nos Estados Unidos, Kyle Schwartz, que pediu a seus alunos que completassem a frase: “Eu gostaria que a minha professora soubesse…”.

E recebeu respostas como: “Eu gostaria que a minha professora soubesse o quanto eu sinto falta do meu pai porque ele foi deportado para o México quando eu tinha três anos e eu não o vejo há seis anos” ou então “Eu gostaria que a minha professora soubesse que não tenho amigos pra brincar comigo”.

andre-gravata

Foto via Carta Educação

E foi assim que ela lançou a hashtag #EuGostariaQueMeusAlunosSoubessem convidando outros professores a postarem nas redes sociais algum complemento a frase que pergunta o que eles gostariam que seus alunos soubessem.

Algumas dessas resposta você confere aqui embaixo. São inspiradoras e fundamentais para a nossa reflexão e empatia diante da educação.

1-300x227 23.17.17

10 23.17.17

1 23.17.17

11 23.17.17

13 23.17.17

12 23.17.17

15 23.17.17

14 23.17.17

16-1024x497 23.17.17

3 23.17.17

5 23.17.17

4 23.17.17

6 23.17.17

7 23.17.17

8 23.17.17

9 23.17.17

Fotos: reprodução redes sociais

Publicidade Anuncie


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Graffitis denunciam que calçadas sem rampas são muros para quem é cadeirante