Debate

Após decapitação de homossexual em Istambul, ativista LGBT é estuprada e queimada na Turquia

por: Redação Hypeness

No fim de julho, o sírio Muhammad Wisam Sankari foi decapitado por ser gay na Turquia. Apenas duas semanas após o incidente, a homofobia fez mais uma vítima. O corpo da ativista transexual Hande Kader foi encontrado queimado e mutilado no dia 12 de agosto, em Istambul.

Hande trabalhava como prostituta na cidade e teria sido vista pela última vez entrando no carro de um cliente. Antes de ser morta, ela teria sido estuprada. Embora a homossexualidade não seja ilegal na Turquia, não é permitido realizar protesto contra os crimes ocorridos contra a população LGBT e crimes de ódio e discriminação ainda são frequentes no país.

Apesar das restrições, cerca de 200 ativistas se reuniram em uma manifestação em Istambul neste domingo, 21, para exigir justiça. O crime também abalou as redes sociais e se tornou um dos mais comentados no Twitter, através da hashtag #HandeKadereSesVer (“Deêm voz a Hande Kader”).

hande2

Foto © Ozan Kose / Foto destaque: Reprodução Twitter

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Diretores pedem vistas e votação de propostas sobre cannabis é adiada na Anvisa | coluna: Viviane Sedola #2