Seleção Hypeness

18 paradas obrigatórias para ciclistas em São Paulo

por: Brunella Nunes

Sabia que em 10 anos o uso de bicicleta dobrou no Brasil? A ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos) lançou um relatório neste ano que aponta um aumento significativo do uso de bike como transporte, que subiu de 1,2 bilhão de viagens anuais em 2003 para 2,6 bilhões em 2014. Pensando nisso, nada melhor do que continuar incentivando seu uso com o nosso guia que reúne 18 paradas obrigatórias para ciclistas em São Paulo.

Somente na capital paulista houve um aumento de 66% no número de ciclistas entre 2015 e 2016. O aumento das ciclofaixas e ciclorrotas facilita o acesso da população à bicicleta, seja para atividades rotineiras ou atividades de lazer do fim de semana. Independente das polêmicas e das controvérsias malucas que envolve, as ciclovias são um caminho sem volta e já conquistam seu espaço nas principais vias públicas de Sampa. Vale lembrar que as cidades são para pessoas e não para carros.

Entre algumas iniciativas bacanas que têm surgido para ajudar a galera do pedal está o Bike It, um site e app que mapeia e avalia estabelecimentos bikefriendly em SP. Outra proposta bem legal é a da Bike Anjo, uma plataforma que conecta ciclistas experientes e iniciantes, com o intuito de promover o meio de transporte. Nela você oferece ou encontra ajuda para aprender e praticar suas pedaladas, recomendações de rotas, acompanhamento no trânsito, etc.

Para ajudar quem anda de bike, a Seleção Hypeness de hoje reúne espaços para atender quem pedala e quem deseja pedalar, que seguem propostas que vão além de um simples comércio. Tenha em mãos também o mapa da ciclofaixa de Lazer paulistana que está aqui.

Para a hora do aperto

1. Oficina Mão na Roda

Este é, sem dúvidas, um dos projetos mais legais da cidade. A Oficina Mão na Roda tem ponto fixo dentro do Centro Cultural São Paulo e também circula pela Vila Madalena para oferecer auxílio gratuito para quem deseja consertar sua bike ou apenas dar um trato mesmo. É movida por doações e organizada pela Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo – Ciclocidade. O coletivo é aberto a quem desejar participar e incentivar a autonomia de outros ciclistas.

Foto: Bill Szilagyi e Cristina Peres

Foto: Bill Szilagyi e Cristina Peres

2. Las Magrelas

Funcionando como oficina e bar, o Las Magrelas é feito por quem é especialista nas bikes, oferecendo conserto, balcão com ferramentas (para quem deseja por a mão na massa), venda de peças, roupas, acessórios e da bicicleta propriamente dita. Além disso tem um bar com cervejas artesanais e promove feira de trocas de peças usadas, entre outras coisinhas.

las-magrelas

Para recarregar as energias

3. Aro 27 Bike Café

O espaço dedicado aos ciclistas oferece chuveiro quente, vestiários com armários e toalhas limpas, estacionamento para bikes e serviços mecânicos. Além disso, tem uma cafeteria com um dos combos de café da manhã mais baratos da cidade, custando entre R$ 5 e R$ 19. Quem for até o local de bike, skate, patins e transportes ativos ganha 5% de desconto nos itens do menu. Você ainda pode colaborar com o projeto Café Pendente, deixando uma bebida paga para um desconhecido num ato de gentileza.

Aro 27_5

4. KOF – King of the Fork

Bike-friendly e com uma ciclofaixa bem na porta, o King of the Fork – KOF – tem preços justos e cardápio bem servido, unido ao ambiente gostoso. No fundo da casa, uma mesa grande ao ar livre torna o cafezinho da tarde ainda mais gostoso. Entre as novidades, tem o Affogato crocante, composto por uma bola de sorvete mergulhada no espresso e farelos de cookie.

5. Vento a Favor Ciclo Café

O espaço na Vila Mariana reúne mecânica, loja, espaço para coworking e café. Também oferece serviços de banho e organiza palestras, participa de eventos, ciclismo de longa distância e cicloturismo. O menu conta com salgados e doces veganos, além dos tradicionais.

vento-a-favor

6. Bike Café

O Bike Café é um microlote de cafés, da variedade Catuaí Vermelho, provenientes da Fazenda Santa Clara (Guaxupé ­ Sul de Minas Gerais), que se transformou em cafeteria itinerante. A bike circula por eventos e pelas ruas de São Paulo com o intuito de mudar (para melhor) a relação das pessoas com a cidade em que vivem e com o café que tomam. A pausa para um cafezinho pode estar literalmente logo na esquina, caso você encontre com eles.

bikecafe

bike-cafe

7. Bike Café com Calma

A bordo de uma bicicleta, Elisa e Juliana seguem pelas ruas da cidade servindo café coado feito com os grãos da Martins Café. Além de um copo quentinho da bebida, também preparam versões geladas e drinks com cafeína. A agenda de onde a dupla se encontra pode ser acompanhada pelo Facebook.

cafe-com-calma

Para se engajar

8. oGangorra

Surgindo junto com o Las Magrelas, oGangorra é um atualmente espaço de trabalho dentro do Lemni Café (onde vc não paga pelo que consome, mas pelo tempo que fica; antes era o espaço do Preto Café), focado em articulação de rede e consultoria que concentra empresas e iniciativas com foco em mobilidade urbana e qualidade de vida na cidade de SP. Faz alguns happy hours com debates relacionados ao uso da bicicleta e cursos, como a formação de Bike Anjos. Vale a pena acompanhar.

ogangorra

9. Instituto Ciclo BR

Este não é bem um endereço fixo na cidade, mas uma ONG importante para os ciclistas. O CicloBR desenvolve projetos em mobilidade e participa ativamente de eventos pela cidade, levando atividades como oficina de bike para mulheres, oficinas para crianças, além de loja com produtos da marca e bicicletário. O objetivo do grupo é fomentar o uso da magrela como transporte, lazer, turismo e esporte. Acompanhe a agenda pelo site oficial.

instituto-ciclobr

10. Praça do Ciclista

Ponto de encontro dos ciclistas, a praça na Av. Paulista é palco para reuniões, eventos, manifestações e saídas de grupos que se reúnem para pedalar. Em junho de 2016 aconteceu até uma festa junina para celebrar um ano de ciclovia na avenida com direito a quadrilha, fogueira e até pedido de casamento. A galera costuma esticar as atividades da praça até a Praça dos Arcos, que fica a poucos metros dali e conta com bicicletário.

praca-do-ciclista

Para curtir o dia

11. Velorama

Quando o Velorama abriu as portas, nós estávamos lá. A praça é um agradável espaço multicultural o para ciclistas e simpatizantes, com mesas para quem quer trabalhar ou ficar de bobeira, loja de acessórios para bike, bar, aluguel de bicicletas elétricas e banheiros. Também recebe festas e eventos aos fins de semana, geralmente abertos ao público. Na hora da fome, sempre tem um food truck, food bike ou alguma barraquinha de comida na porta.

veloramasp

12. Parque das Bicicletas

Próximo ao Ibirapuera, em Moema, está o Parque das Bicicletas, um bom espaço para crianças e iniciantes nos pedais. Com 20 mil m², abriga ciclistas mas também tem espaço de sobra para patins, skate, patinete e para quem deseja caminhar e se exercitar na academia ao ar livre. Tem ciclovia que leva até o parque também, facilitando a vida dos ciclistas.

parque-bicicletas-moema

13. CDC – Arena Radical (Bike Park Cancioneiro)

Passando por obras de melhorias, o Bike Park da Vila Olímpia é um centro esportivo e educacional de 7 mil m² que abriga ciclistas de BMX e dirt jump. São duas pistas ao ar livre para cada modalidade, além de uma pista de bike e uma de skate. Oferece aulas para crianças e aluga o espaço.

cdc-arena-radical

14. Parque de Esportes Radicais

Endereço ainda novo na cidade, o parque foi visitado pelo Hypeness no mês de abril. O Centro de Esportes Radicais é um dos maiores da América Latina e reúne várias atrações para quem curte adrenalina. Além de contar com uma ciclovia que passa por todo o parque, tem circuito para BMX, skate e patins, ideal para quem quer pegar velocidade e passar por obstáculos.

Para comprar (e fazer uma pausa)

15. Ciclo Urbano

A loja oferece bicicletas, peças e acessórios específicos para o ciclista urbano. Além de produtos, faz customização de bikes (e food bikes), tem uma oficina mecânica, cerveja gelada – com direito até a brassagem feita no local – e salgados. Ou seja, a pausa para uma simples manutenção pode se prolongar por horas…

ciclourbano

16. Brooklin Bike Café

A loja de bike e café na região do Brooklin que procura atender o biker por completo. Além de vender bicicletas e peças, abriga um café, serve almoço, conta com duchas e mecânica. Além disso, organiza passeios, eventos e happy hour com música às sextas-feiras, onde o foco é o público apaixonado pela magrela.

brooklin-bike

17. Velodrome Bikeshop

Este é mais um misto de loja e café para ciclistas, servindo não apenas comidinhas, mas também almoço. Localizado no bairro Santa Cecília, vende bikes colecionáveis, peças, roupas, acessórios e conta com uma oficina.

velodromebikeshop

velodrome-bikeshop

18. A Bela do Dia

Utilizar a bike é também incentivar seu uso. A floricultura A Bela do Dia distribui flores assim, a bordo da magrela. Os arranjos são lindos e estão disponíveis na loja física, que fica na Vila Madalena. As entregas são feitas de bicicleta, que carrega uma cestinha florida pelas ruas de São Paulo.

a-bela-do-dia

Todas as fotos: divulgação

faixa-selecao-hypeness

Publicidade


Brunella Nunes
Jornalista por completo e absoluto amor a causa, Brunella vive em São Paulo, essa cidade louca que é palco de boa parte de suas histórias. Tem paixão e formação em artes, além de se interessar por ciência, tecnologia, sustentabilidade e outras cositas más. Escreve sobre inovação, cultura, viagem, comportamento e o que mais der na telha.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Enterros verdes: Paris inova e inaugura seu primeiro cemitério sustentável