Cobertura Hypeness

É possível? A sustentabilidade é o maior desafio da indústria cosmética

por: Redação Hypeness

Foi lá que foi desenvolvida a pele 3D, um dos métodos alternativos aos testes em animais, e inédito no Brasil. É lá também onde são feitas as pesquisas que permitem criação de produtos de menos impacto ambiental e mais facilidade na reciclagem. Lá economiza-se água, cultiva-se flores e estuda-se, incessantemente, maneiras de impactar cada vez menos o meio ambiente. De onde estamos falando? Chega mais que a gente te conta.

Na última quinta-feira, 1 de setembro, tivemos a oportunidade de conhecer a fábrica do Grupo Boticário, localizada no Paraná. Logo na entrada, o tamanho do complexo industrial impressiona. Em um terreno de 145 mil m², onde trabalham mais de 2 mil funcionários (entre fábricas, centro de pesquisa e escritórios), a capacidade total de produção é de 250 milhões de unidades por ano, o que daria quase 700 mil produtos por dia. É muita coisa!

Grupo Boticário - Relatório de Sustentabilidade 2015 Foto: Guilherme Pupo

E diante de números tão grandes como estes, é inevitável pensar: seria possível atingir grandes escalas de produção, e consequentemente de vendas e lucros, mantendo a sustentabilidade como princípio básico? E tudo isso sem deixar qualidade, modernidade e inovação de lado? Sim, é possível! E o Grupo Boticário faz isso acontecer com maestria.

Para se ter uma ideia, a sustentabilidade está presente de ponta a ponta no processo, desde a pesquisa e desenvolvimento dos produtos, até a reciclagem das embalagens, através do programa de logística reversa com mais pontos de coleta no Brasil. Isso gera benefícios sociais e ambientais para toda a cadeia de valor. São as tais Atitudes Positivas, que demonstram como a beleza pode transformar todo o mundo ao nosso redor.

Centro Pesquisa

Na criação de um produto, tudo começa com o setor de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D). É lá que começa a busca por novas tendências e, junto com uma enorme equipe de biólogos, farmacêuticos, químicos e pesquisadores, são desenvolvidos e testados absolutamente todos as matérias primas, produtos e embalagens. E não é só isso. Eles também estão sempre em busca de novas tecnologias que possam contribuir para a redução de impactos no meio ambiente.

Foi lá, como dissemos no início, que eles desenvolveram a pele 3D, através da utilização de células isoladas de tecido descartado de cirurgias plásticas (com o consentimento do doador, claro), reproduzindo assim a pele humana em laboratório. Além da pele 3D permitir maior assertividade nos testes com produtos, ela também se torna uma alternativa aos testes em animais, infelizmente ainda utilizado amplamente na indústria cosmética. Aliás, aqui vale um parênteses importante: o Grupo Boticário não realiza testes com animais há mais de 15 anos.

Pele 3D

Depois do produto desenvolvido, testado e aprovado pelo P&D, o próximo passo é a fabricação. No complexo de São José dos Pinhais existem três fábricas, uma para maquiagem, outra para perfumaria e uma terceira para cremes, loções e shampoos. É lindo de ver o cultivo de lírios usados, de maneira artesanal, na receita do perfume Lily por exemplo. O objetivo da empresa é ter um processo de produção cada dia mais limpo e, para isso, novamente eles investem em tecnologia.

Produção_Lily

Como o caso de um novo processo empregado na produção de cremes e loções hidratantes, que garantiu a diminuição de 70% do consumo de energia elétrica. Outro grande propósito é reduzir o consumo de água em 50%, meta ousada que o grupo se propõe a atingir até 2024.

Produtos prontos, é hora da distribuição, onde os itens são enviados para todo o Brasil através de uma complexa malha logística. Complexa, mas inteligente e sustentável. Através de inúmeras atitudes positivas, como o aumento da quantidade de produtos levados em uma única viagem e a utilização de biocombustível pelos veículos da frota, foi possível reduzir em 36% a emissão de GEE, os gases do efeito estufa.

Caminhao Bicombustivel

Outro ponto importante para uma empresa ser ecologicamente correta é não deixar de lado seu ponto de venda. No caso do Grupo Boticário, são aproximadamente 4 mil deles, que englobam as quatro marcas do grupo (O Boticário, Eudora, quem disse, berenice? e The Beauty Box). E a sustentabilidade está presente em 100% dos PDVs. Alguns exemplos disso são os pisos das lojas The Beauty Box, 80% composto de material reciclado. Já a quem disse, berenice?, além de ter a 1ª loja do Brasil com o mais alto nível da certificação LEED, possuí mais de 80% da madeira utilizada no seu mobiliário proveniente de bom manejo florestal.

Foto-01-Loja-Quem-Disse-Berenice 2

E como se já não bastasse, a empresa ainda se importa com o descarte das embalagens dos produtos, após seu consumo. Todo o grupo conta com um programa de reciclagem impressionante, que é o maior do Brasil. Presente em 100% das lojas, ele gera um volume de resíduos que beneficia 21 cooperativas e mais de 900 catadores de materiais reciclados em todo o país. Todas estas informações, e muitas outras, podem ser conferidas no Relatório de Sustentabilidade do grupo, disponível para download aqui.

Você lembra a minha dúvida, presente no título lá no começo do post? Pois é, descobrimos que sim, é totalmente possível para uma empresa pensar no meio ambiente, através da adoção de práticas sustentáveis, e continuar lucrativa e inovadora, apresentando produtos de extrema qualidade. Com atitudes que vão desde a criação de uma cultura consciente, até o investimento no estudo e desenvolvimento de tecnologias alternativas, o Grupo Boticário, uma empresa 100% brasileira, tornou isso realidade. Como eles mesmos costumam dizer, a beleza é capaz de transformar o mundo ao nosso redor, literalmente.

Todas as imagens © Grupo Boticário/Edu Viana

coberturahype

artigo-patrocinado

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Preocupação ambiental já mudou hábitos de 75% dos consumidores, aponta levantamento