Fotografia

Exposição reúne o corajoso e impactante trabalho de mulheres como fotojornalistas de guerra

Vitor Paiva - 23/09/2016 | Atualizada em - 26/09/2016

Ser mulher é quase que por definição ser corajosa. Não por acaso, em um campo profissional que exige coragem como premissa, as mulheres tem se destacado cada vez mais: o fotojornalismo de guerra. Por isso, uma exposição em Turim, na Itália, contempla justamente imagens registradas por mulheres em campos de batalha ou em países atravessando as mazelas de conflitos e guerras civis sem fim.

São fotografas do mundo todo, que passaram por ameaças, tiros, bombas, fugas, roubos, acusações de espionagem, assédio sexual, ameaças de sequestro e lutas reais pela própria vida para registrarem e mostrarem para o mundo o horror das batalhas ainda hoje – e ainda com apuro estético, beleza nas imagens e o importante sentido de denúncia. Todas as fotos abaixo pertencem à exposição, e foram registradas pela força e a coragem femininas. A exposição é dedicada à memória de Camile Lepage, uma fotógrafa francesa morta durante um conflito na República Centro-Africana, em 2014.

A fotógrafa Andreja Restek, à esquerda, fugindo de tiros em Aleppo, na Síria A fotógrafa Andreja Restek, à esquerda, fugindo de tiros em Aleppo, na Síria

© © Diana Zeyneb Alhindawi

© Laurece Geai © Laurece Geai

© Andreja Restek © Andreja Restek

© Capucine Granier Deferre © Capucine Granier

Deferre

© Virginie Nguyen Hoang © Virginie Nguyen

Hoang

© Alison Baskerville © Alison Baskerville

© Andreja Restek © Andreja Restek

© Annabelle Van den Berghe © Annabelle Van den Berghe

© Camille Lepage © Camille Lepage

© Monique Jacques © Monique Jacques

© Shelly Kittleson © Shelly Kittleson

© Matilde Gattoni © Matilde Gattoni

© Maysun © Maysun

A própria Maysun, que não usa seu sobrenome profissionalmente, trabalhando em campo A própria Maysun, que não usa seu sobrenome profissionalmente, trabalhando em campo

© Alison Baskerville © Alison Baskerville

Andreja Restek trabalhando na Síria Andreja Restek trabalhando na Síria

Camille Lepage morta em trabalho, a quem a exposição é dedicada Camille Lepage, morta em campo, a quem a exposição é dedicada

Publicidade


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é mestre e doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Publica artigos, ensaios e reportagens, é autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
Januário Garcia, morto vítima da Covid, fotografou história do movimento negro no Brasil