Inspiração

Associação brasileira usa esperas telefônicas de empresas para chamar atenção pra doação de órgãos

por: Redação Hypeness

Todo mundo fica um pouco incomodado ao ter que esperar na linha quando liga para uma empresa, ouvindo aquelas musiquinhas que são sempre iguais. E, mesmo sabendo que o atendimento não vai demorar mais do que alguns minutos, a gente ainda insiste em reclamar. Agora, a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO) se uniu com o Grupo RÁI para contar as histórias de gente que já está esperando há muito mais tempo.

A campanha ganhou o nome de “Vozes da Espera” e levou três pessoas que estão esperando por um transplante de órgãos para contar suas histórias durante a espera de chamadas telefônicas de grandes empresas pelo Brasil. Segundo Roberto Mandro, presidente da ABTO, mais de 40% das famílias não consentiram a doação de órgãos dos familiares com morte encefálica neste ano.  “Isso significa que mais de 3 mil transplantes não foram feitos no país”, explica.

young girl leaning over seat talking to adults

É para conscientizar sobre os 33 mil brasileiros que esperam por um órgão que a campanha nasceu, levando a história destas pessoas para as esperas telefônicas. Afinal, se a espera da ligação vai terminar rapidinho, a de quem aguarda um órgão ainda pode durar anos.

Espia só:

orgaos2

Qualquer empresa que tenha interesse em participar da ação pode fazer o download das histórias diretamente no site da campanha e usá-las na espera telefônica, ajudando a conscientizar um número ainda maior de pessoas sobre o assunto.

 

Confira também as histórias da Sabrina, do Fernando e da Maridalva.

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Terapia orgástica: gozei 15 vezes seguidas e a vida nunca mais foi a mesma