Debate

Por que quase metade das maiores CEOs e líderes mulheres do mundo é loira

por: Redação Hypeness

Um curioso dado do mundo dos negócios levantou o interesse de duas pesquisadoras da University of British Columbia, do Canadá: apesar de não representarem mais de 2% da população mundial, 48% das mulheres que estão no comando das maiores empresas do mundo são loiras. A confirmação de tal dado levou as pesquisadoras Jennifer Berdahl e Natalya Alonso a realizarem uma série de pesquisas para entender o motivo desse raro – e incoerente – fenômeno.

Marissa Mayer, CEO do Yahoo Marissa Mayer, CEO do Yahoo

Evidentemente que boa parte das mulheres ocupando tais cargos não são loiras de nascença, e a regra vale para todo tipo de liderança ocupado por mulheres. Realizando uma série de entrevistas com 100 homens (a vasta maioria dos membros da comunidade empresarial) diante de imagens de mulheres loiras e morenas ou da mesma mulher com as duas tonalidades de cabelo levou as pesquisadoras a chegarem a quatro conclusões para o fenômeno.

Virginia "Ginni" Rometty, CEO da IBM Virginia “Ginni” Rometty, CEO da IBM

A primeira conclusão é evidente: cabelos loiros costumam ser naturais de pessoas de pele branca, que chegam ao topo das empresas com muito mais facilidade. A segunda conclusão é também óbvia: mulheres loiras são mais vistas como atraentes e sexys, o que lhe ajuda no processo de se tornar uma líder. Essas mesmas mulheres também são vistas como mais bondosas e gentis. Por fim, o loiro se conecta mais com ideais de juventude, o que forma, em conclusão, um certo ideal da mulher bem-sucedida ocidental.

Hillary Clinton, candidata democrata à presidência dos EUA Hillary Clinton, candidata democrata à presidência dos EUA

“As mulheres que se encaixam no ideal feminino da cultura norte-americana, de ser branca, loira, atraente, jovem e amável, têm mais probabilidade de atingir a liderança do que mulheres menos ‘ideais’, ainda que esse ideal tenha pouco a ver (ou seja considerado inversamente relacionado) com competência”, escreveu Jennifer.

 Kirstin Gillibrand, senadora americana. Kirstin Gillibrand, senadora americana

Claro que não se trata de uma decisão consciente, mas é como se o cabelo loiro oferece confiança, proximidade, atração e ainda desarmasse o homem na relação com uma mulher em situação de liderança. Mais uma artimanha dos padrões de beleza, que mostra o quanto a desigualdade de relações reside nos mínimos detalhes.

Até na ficção: Claire Underwood, personagem da série House of Cards Até na ficção: Claire Underwood, personagem da série House of Cards

© fotos: divulgação

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Fernando Cury, filmado apalpando seio de vereadora, vira alvo de investigação criminal