Inspiração

A gangue de mulheres motoqueiras que entrega leite para ajudar bebês prematuros

por: Redação Hypeness

Quando você pensa em uma gangue de mulheres motoqueiras e fortes, cruzando em alta velocidade as ruas de Nova Iorque, provavelmente a última coisa que lhe viria à cabeça seria associar a gangue com bebês recém nascidos, certo? Pois, para as motoqueiras da Sirens Womens MC of NY (algo como Clube das Mulheres Motociclistas Sereias de Nova Iorque) essa é a primeira e principal associação.

sirens8

sirens7

Pois esse clube feminino de motoqueiras é o responsável pelas entregas urgentes de leite materno do Banco de Leite de Nova Iorque, uma organização não-lucrativa que oferece leite materno para bebês prematuras ou qualquer outra criança em necessidade desse alimento tão importante.

sirens4

A escolha pelas motoqueiras, para além da própria facilidade de uma mulher em sentir empatia por outra mulher, por uma mãe e uma criança em necessidade vital de receber o leite, se deu pela capacidade das motos de costurar o trânsito e chegar mais rápido aos locais.

sirens5

O grupo se formou primeiramente pelo fato de antigos clubes de motociclistas simplesmente não aceitarem mulheres entre seus membros.

sirens6

Enquanto, porém, outros clubes e gangues parecem não afirmar maiores propósitos além do amor pelas motos e a cena de bad boys mal encarados que não os leva a lugar nenhum, as Sereias se afirmam como uma gangue da pesada por um motivo real e fundamental. “Eu poderia surrar alguém ou garantir que um bebê se alimente” haveria de ser o slogan dessas Sereias.

sirens2

sirens3

© fotos: divulgação

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Paulo Vieira transforma ‘recebido’ por engano em comida grátis para quem vive na rua