Inspiração

Dylan não foi receber o Nobel, mas mandou Patti Smith em seu lugar; e o resultado foi emocionante

por: Redação Hypeness

Desde o início da década de 1960, quando surgiu para revolucionar não só a música folk e o rock como a própria cultura ocidental, que o poeta e compositor Bob Dylan jamais faz o que poderia dele se esperar. Seja em seu trabalho, seja na maneira com que lida com o sucesso, Dylan sempre surpreendeu ao público, jamais se submetendo aos exageros da indústria, comportando-se como um cantor e poeta, focado em seu trabalho de traduzir o mundo em canções – e, mesmo passados quase 60 anos, ao vencer o Prêmio Nobel de Literatura, em 2016, sua postura não seria diferente.

dylannobel6

Sempre, porém, que Dylan frustrou certa expectativa sobre como poderia ou deveria se comportar, o fez com elegância, talento e surpreendente força – e, nesse caso, tal máxima mais uma vez se cumpriu. Avesso aos holofotes do sucesso, Dylan avisou recentemente que provavelmente não poderia se fazer presente na cerimônia de entrega do Nobel. E assim o fez: sua ausência, no entanto, foi magistralmente preenchida pela poeta e lenda do punk Patti Smith.

NOBEL-PATTI SMITH

Admiradora confessa da obra de Dylan, uma emocionada Patti Smith defendeu a icônica canção “A Hard Rain’s A-Gonna Fall”, composta por Dylan em 1962. Com seus longos e lisos cabelos grisalhos moldando seu rosto, Patti representou o maior compositor americano vivo com força e beleza, permitindo inclusive que sua emoção também se derramasse em tributo: no segundo verso da canção, Patti perdeu o fio da meada e, visivelmente tomada por todo significado daquela apresentação, interrompeu a execução, explicando-se com somente uma simples frase, e um comovente sorriso.

“Me desculpe, estou muito nervosa” – transformando em lágrimas todo o espírito de uma geração. Patti recomeçou a canção com ainda mais emoção, quebrando em mais uma camada qualquer protocolo, e fazendo jus ao espírito incontrolável de Dylan.

dylannobel5

dylannobel2

Não poderia haver melhor tributo e representação. No discurso que enviou como agradecimento ao prêmio (que pode ser lido aqui na íntegra, em inglês) Dylan posicionou-se com a grandiosa humildade que, paradoxalmente, lhe é peculiar. Lembrou de seus diversos heróis literários, de Shakespeare – que também questionava-se sobre se seus textos, escritos para o palco, seriam literatura – e terminou dizendo que jamais perguntou-se, em toda sua vida, sobre se seriam literatura sua canções, por estar sempre preocupado com aspectos mundanos de seu trabalho.

dylannobel1

“Eu então agradeço a academia sueca, tanto por dedicar seu tempo em considerar essa questão, quanto, por fim, por oferecer uma resposta tão maravilhosa”.

© fotos: reprodução

O Hypeness já tratou das polêmicas e debates surgidas depois de Bob Dylan se tornar o Prêmio Nobel de literatura de 2016. Relembre.

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Com 34 anos, finlandesa é a primeira-ministra mais jovem do mundo