Inspiração

Vídeo mostra noivo declamando votos de forma descontraída e hilariante e vira sensação na internet

por: Tuka Pereira

Ao mesmo tempo que uma cerimônia de casamento pode ser a coisa mais importante da vida de muitas pessoas, também é o momento em que muitos tremem de nervosismo, principalmente na hora de dizer os votos. No entanto, o jovem Guilherme Lourenço tirou de letra a hora de declarar seu amor pela noiva, Josiane Marques, em uma igreja lotada.

noivos_interna
Os recém-casados Josiane Marques e Guilherme Lourenço

Deixando de lado os tradicionais votos em que os noivos geralmente dizem o que sentem de forma séria e tímida, Guilherme praticamente transformou o altar em um palco e deu um show de criatividade, humor e descontração na cerimônia ocorrida em 10 de dezembro, em Belo Horizonte, MG.

Logo de cara ele confessa que fez os votos porque a noiva mandou e que procurou no Google um passo a passo arrancando gargalhadas dos convidados. Em seguida ele conta o que grandes nomes como Oscar Wilde e Lutero já declararam sobre casamento, mas diante de pontos de vistas pessimistas ele chegou à conclusão de que nenhum deles conseguiu traduzir a maneira como ele se sente.

A melhor definição encontrada por Guilherme, que é professor de letras na capital mineira, foi a escrita pelo escritor brasileiro Carlos Drummond de Andrade.

O vídeo compartilhado na última terça-feira (3) na página do coral gospel Ebenezer já ultrapassou 1,5 milhão de visualizações.

Assista!

Todas as imagens: Acervo Pessoal

Publicidade


Tuka Pereira
Jornalista há mais de uma década e 'escrevinhadora' há muito mais tempo, Tuka Pereira aborda feminismo a gatinhos fofos com a mesma empolgação. Se existe algo que gosta mais do que escrever é carimbar o passaporte. Já esteve em boa parte do mundo e todo dinheiro que ganha gasta em viagens.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Jovem de 26 anos realiza sonho e se casa vestida de noiva dias antes de morrer