Fotografia

Mulher de 56 anos faz ensaio sensual e prova que não existe idade para se sentir diva

por: Gabriela Alberti

Quando postou uma foto sua segurando um sutiã preto na DeviantArt, uma plataforma online voltada a artistas, em 2012, a norte-americana Julie H. não imaginava que teria tamanha repercussão.

Rapidamente, a imagem passou a fazer sucesso e, em apenas um dia, tinha mais de 25 mil comentários, fazendo com que Julie se tornasse bastante popular na internet. “A imagem pegou fogo de uma maneira aleatória que ainda me confunde e até mesmo me oprime”, disse Julie, que tem 56 anos.

56-year-woman-body-piercing-tattoo-julie-burning-lotus-1-58b3dc21be4d6__700

56-year-woman-body-piercing-tattoo-julie-burning-lotus-2-58b3dc25127ce-jpeg__700

56-year-woman-body-piercing-tattoo-julie-burning-lotus-7-58b3dc307df86-jpeg__700

56-year-woman-body-piercing-tattoo-julie-burning-lotus-8-58b3dc3390431-jpeg__700

Hoje, a norte-americana alimenta um Tumblr (NSFW) com diversas imagens sensuais, onde deixa a mostra para seus quase 100 mil seguidores todas os seus piercings e tatuagens. Alguém ainda duvida que existe idade para ser maravilhosa?

56-year-woman-body-piercing-tattoo-julie-burning-lotus-12-58b3dc3fb2629-jpeg__700

56-year-woman-body-piercing-tattoo-julie-burning-lotus-13-58b3dc42b2677-jpeg__700

56-year-woman-body-piercing-tattoo-julie-burning-lotus-9-58b3dc3672c3d-jpeg__700

56-year-woman-body-piercing-tattoo-julie-burning-lotus-14-58b3dc46a1ba4-jpeg__700

56-year-woman-body-piercing-tattoo-julie-burning-lotus-23-58b3dc59be925__700

Imagens © The Burning Lotus

Publicidade


Gabriela Alberti
Aquariana, curitibana, canhota e (só um pouco) teimosa. Curiosa desde o berço, tô sempre em busca de novidades, da senha do wi-fi, de novas séries para virar o fim de semana e de passagens promocionais para, quem sabe um dia, dar a volta ao mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
10 fotos de mais de 160 anos foram coloridas para lembrar o horror da escravidão nos EUA