Debate

Conheça os seus direitos em casos de overbooking e evite perrengues

por: Redação Hypeness

Essa semana, quando um passageiro de 69 anos foi retirado à força (e praticamente inconsciente) de um voo da United Airlines que estava prestes a decolar do aeroporto de Chicago, o mundo entrou em choque.

O ocorrido, além de arranhar a imagem da companhia aérea, também levou muita gente a questionar seus direitos e qual a melhor maneira de evitar algo parecido em casos de overbooking. Por isso nós reunimos algumas dicas que podem esclarecer a situação e garantir mais segurança e conforto para você.

image

1 – Por que overbooking existe?

No Brasil, existe uma taxa média de no show de 10% por voo (nos EUA chega a 15%). Ou seja, a cada 10 passagens vendidas um passageiro não se apresenta para o embarque. Para evitar o prejuízo causado por essa ausência, as companhias aéreas vendem passagens a mais, já esperando que algumas pessoas vão perder o voo. O problema é que muitas vezes isso não acontece e acabam faltando assentos para todo mundo. Outras situações como trocas de aeronave e atraso de passageiros também podem causar o overbooking.

2 – Mas isso é permitido?

No Brasil, não é permitido que as companhias aéreas vendam mais passagens do que os assentos existentes. O que não as impede de fazer isso, é claro. Mas nos EUA e na Europa é permitido e, inclusive, regulamentado. Quando ocorre o overbooking o procedimento padrão é que as companhias convidem alguns passageiros a trocar de voo oferecendo, inclusive, alguns benefícios em troca, como passagens aéreas, milhas, hospedagem e até dinheiro. Mas se ninguém aceitar a empresa pode, sim, escolher um ou mais passageiros para não embarcar. Muito mais raro, mas mesmo assim permitido, é retirar clientes já dentro do avião. Ainda que pareça um absurdo, nesses casos é importante manter a calma e não entrar em atrito.

3 – Como evitar perder seu lugar?

O mais comum é que os últimos passageiros a fazer check-in e embarcar sejam os primeiros escolhidos a ceder seu lugar. Por isso, para reduzir suas chances de se dar mal faça o check-in o mais cedo possível. Pela internet é possível realizar a confirmação até 12 horas antes do voo. Além disso, chegue com antecedência no aeroporto. Os atrasadinho podem levar a pior. Outra coisa que pode garantir o seu assento é ter um programa de milhagem das companhias aéreas.

4 – E quais as responsabilidades da companhia aérea?

E casos de overbooking a companhia aérea é obrigada a encaixar você no próximo voo disponível. Se essa espera superar uma hora a empresa deve bancar seus gastos com internet e telefone. Duas horas, devem oferecer um orçamento para alimentação. E se a esperar superar 4 horas a companhia deve arcar com transporte e hospedagem. Além disso você pode solicitar reembolso completo e instantâneo. Se alguma dessas obrigações não for cumprida você deve procurar imediatamente um fiscal da Anac.

5 – É só notícia ruim?

Overbooking não precisa ser sempre uma tragédia. Você pode, inclusive, se dar bem. Algumas companhias aéreas oferecem recompensas para quem aceita ceder seu lugar, principalmente em viagens internacionais. Passagens aéreas, hospedagem em bons hotéis e até valores em dinheiro. Por isso, se você não tiver pressa em chegar ao seu destino pode até garantir uma grana extra. E mais uma coisa para se lembrar: negocie. Embora os funcionários afirmem que aquela oferta é o melhor que podem fazer você sempre pode garantir um agrado a mais. Na pior das hipóteses você garante um upgrade de classe. Mas lembre-se do mais importante: violência, jamais. Tudo deve ser conversado e decidido sem que ninguém precise se machucar.

Imagens © Divulgação

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Enquanto Anvisa não se decide, o mercado bilionário do Cannabusiness se organiza