Debate

O relato viral dessa jovem demitida por ir trabalhar sem sutiã é um alerta urgente

por: Tuka Pereira

Kate Hannah, que vive em Beverley, EUA, relatou em sua conta do Facebook que foi demitida do bar em que trabalhava por ter ido trabalhar sem usar sutiã. O caso, que aconteceu no último sábado (24), foi compartilhado nas redes sociais e rapidamente viralizou.

De acordo com a jovem de 21 anos, ela teria recebido comentários de cunho sexual do irmão de sua gerente na presença da mesma e se sentido desconfortável e objetificada. Quando Kate reclamou do assédio à superior, a mulher a repreendeu em frente a funcionários e clientes dizendo que ela não deveria voltar a trabalhar sem usar a peça.

Junto ao relato, Kate publicou uma foto mostrando a roupa em que fora trabalhar: camiseta cinza sem nenhuma transparência ou decote.

Leia o post da britânica na íntegra:

“Ontem uma observação sexual imprópria foi feita para mim pelo irmão da minha gerente e na presença dela. Eu me senti desconfortável, objetificada e chocada. Infelizmente, ela decidiu lidar com a situação me dizendo que eu não tinha permissão de ir trabalhar se não estivesse usando um sutiã. Isso me foi dito em frente a três funcionários e clientes. Senti vergonha do meu corpo e completamente chocada por estar sendo culpada pelo assédio sexual que sofri no trabalho. Ela me chamou de estúpida, tola e exagerada quando eu falei que estava chateada. Estou absolutamente enojada com a falta de profissionalismo e a flagrante falta de respeito pelo meu direito enquanto mulher de usar o que me deixa confortável. Ninguém deveria sentir a necessidade de se esconder para se manter longe de comentários e de assédio sexual”

Em sua página no Facebook, o bar Bird and Beer negou que tenha demitido Kate por não usar sutiã e garantiu que nenhum empregado sofre assédio no ambiente de trabalho.

“Em resposta às recentes alegações alegadas para a Bird & Beer, desejamos fazer a seguinte declaração. Podemos confirmar que nenhum empregado foi demitido da empresa em relação a essas alegações. Temos o dever de proteger todos os nossos funcionários de qualquer discriminação ou assédio sexual no local de trabalho e tomamos quaisquer comentários a nossos funcionários muito a sério e atuamos imediatamente sobre eles de forma profissional.”

Todas as imagens: Reprodução Facebook

Publicidade


Tuka Pereira
Jornalista há mais de uma década e 'escrevinhadora' há muito mais tempo, Tuka Pereira aborda feminismo a gatinhos fofos com a mesma empolgação. Se existe algo que gosta mais do que escrever é carimbar o passaporte. Já esteve em boa parte do mundo e todo dinheiro que ganha gasta em viagens.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Homem pode enfrentar 5 anos de prisão por usar gato como arma contra a polícia