Debate

Para contrapor ensino cristão, satanistas criam curso para crianças e jovens em escolas dos EUA

por: Redação Hypeness

Religião é um assunto de adulto. Seja qual for a sua, ou se você não tem nem quer ter nenhuma, parece no mínimo uma questão de bom senso que as crianças sejam mantidas livres para serem quem quiserem ser diante de tal profundo e polêmico tema. Desde 2001, nos EUA, no entanto, que a Suprema Corte do país permite que grupos religiosos ministrem cursos extracurriculares para alunos de escolas públicas americanas. A missão dos tais “Clubes de Boas Notícias” é assumidamente a de “evangelizar meninos e meninas com o Evangelho do Senhor, para estabelece-los como discípulos da palavra de Deus”.

 

Lucien Greaves, cofundador e porta-voz do Templo

É claro que a questão vai além do mero debate religioso, ganhando contornos políticos e tocando em temas como o ensino científico, a separação entre o estado e a igreja, e muito mais. E é por isso que, se valendo da mesma premissa judicial que permite o ensino religioso, os membros do Templo Satânico dos EUA decidiram se oferecer como uma alternativa às crianças e ao pais e questionar a legitimidade dos cursos cristãos ministrando também aulas extracurriculares de satanismo nas escolas.

 

Membros do Templo Satanista; Chalice Blythe é a do meio

A ideia, segundo Chalice Blythe, diretora nacional do programa “Satã Depois da Escola”, é oferecer múltiplos pontos de vista, já que os cursos religiosos são permitidos em escolas públicas. O material do curso convida os jovens a “aprenderem e se divertirem” com o satanismo, com direito a vídeo com áudio invertido e até um livro de colorir satânico.

Logotipo do curso

É claro que os grupos cristãos se uniram para frear a iniciativa, chamando-a de “sacrilégio” em nome do “retorno da moral cristã”. O Templo Satânico, no entanto, possui uma base como de qualquer outra religião, e uma forte atuação nas redes sociais. Na prática, atuam como defensores do conhecimento científico, das liberdades individuais, dos direitos humanos e, acima de tudo, da separação entre a igreja e o estado.

Não se sabe se alguma escola já autorizou o curso, nem como a Corte suprema se posicionará – mas fica claro que a separação entre o estado e a igreja, em todos os aspectos, é realmente a única maneira eficiente de se proteger justamente a liberdade de religião, sem que nenhuma linha religiosa se sobreponha sobre outra – ou sobre o direito de não seguir linha alguma.

Publicidade

© fotos: divulgação


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Após suicídio, precisamos falar sobre como a menstruação é tratada nas escolas