Debate

CEO no Vale do Sicílio conta que precisou pintar o cabelo para ser respeitada no trabalho

por: Redação Hypeness

A ciência indica que pessoas consideradas bonitas costumam ganhar salários maiores que seus companheiros desprovidos de tanta beleza. Mesmo assim, a boa aparência também pode atrapalhar no caso de mulheres que ingressam em mercados tipicamente masculinos. Foi o que Eileen Carey, CEO da empresa de software Glassbreakers, sentiu na pele no Vale do Silício.

Recentemente ela contou à BBC News que tingiu seu cabelo para subir na carreira. Naturalmente loira, Eileen escureceu o cabelo graças ao conselho de uma colega que trabalhava com capitais de investimento. Segundo a amiga, mulheres CEO com cabelos escuros costumam ser mais reconhecidas neste mercado. Para a executiva, ser morena também fazia com que parecesse mais velha, o que ajudou a aumentar a confiança depositada nela.

Back from #summitatsea Game Face On!

A post shared by eileen carey (@eileenmcarey) on

Eileen atribui as mudanças ao fetiche que ainda existe em torno das mulheres loiras, que são tidas como mais “sensuais”. “Para que eu tivesse sucesso nesse espaço, eu queria atrair o mínimo de atenção possível, especialmente em termos sexuais“, disse ela à publicação. A declaração serve como (mais) um alerta sobre o sexismo no Vale do Silício.

Além de mudar a cor do cabelo, a executiva também passou a utilizar roupas andróginas e trocou suas lentes de contato por óculos. De acordo com seu depoimento, ela não queria ser vista como um objeto sexual e sim como uma mulher de negócios, o que motivou as mudanças.

Publicidade

Fotos: Reprodução Instagram/Eileen Carey


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Mike Tyson diz que gasta mais de R$ 150 mil por mês em maconha