Fotografia

25 fotos de Led Zeppelin, Stones, Bowie, Queen e outros flagrados como turistas no Japão

por: Vitor Paiva

Famoso pelas calorosas recepções, pela juventude descolada e por um bom número de cidades grandes, somado a um profundo e constante interesse por música, o Japão é hoje uma parada fundamental para qualquer grande banda em uma turnê.

Mas nem sempre foi assim: algumas décadas atrás, o país era ainda uma misteriosa e intrigante ilha no oriente, que aos poucos, a partir da metade da década de 1960, demonstrou intenso interesse pela música ocidental – em especial pelo rock.

Foi quando os maiores artistas do gênero começaram a frequentar a terra do sol nascente – e sempre que um grande nome do rock passava pelo Japão, o fotógrafo japonês Koh Hasebe estava por lá, para registrar.

U2 em Tóquio – 1983 

Os pioneiros, ao menos entre os grandes nomes, foram provavelmente os Beatles, em 1966. A partir de então, porém, artistas de peso como Led Zeppelin, David Bowie, Queen, Kiss, Rolling Stones, Police e U2, entre tantos outros, se apresentaram no país ao longo das décadas de 1970 e 1980, fomentando o caminho que hoje tornou-se essencial para grandes bandas ocidentais – ser famoso no mundo inteiro é também ser famoso no Japão.

Steven Tyler, do Aerosmith, em Kyoto – 1977

Van Halen em Osaka – 1979

Talking Heads em Tóquio – 1981

A carreira de Koh Hasebe começou em 1965, quando ele ainda era fotógrafo de cinema, e foi chamado para registrar, em Londres, os Beatles. Depois de tal oportunidade, Hasebe se tornou um fotógrafo de rock – o maior do Japão. “Foi quando os artistas ocidentais começaram a visitar o Japão, e de alguma forma eu me tornei o cara escolhido para documentar essas turnês”, ele diz, hoje com 85 anos. Nomes como Mick Jagger, Robert Plant, Sting, Bono e Freddie Mercury, passaram a posar naturalmente para suas lentes, quando de passagem pelo Japão.

Carlos Santana em Kamakura – 1974

Carlos Santana em Dazaifu Tenmangu – 1973

Robert Plant, do Led Zeppelin, em Hiroshima – 1971

“O rock não era algo que as pessoas ‘decentes’ ouviam, mas para uma juventude anti-establishment, foi como um farol. Eu já era um pouco mais velho, então fui capaz de ver o rock com mais calma. Hoje podemos ver a forma gradual porém grandiosa com que o rock transformou a sociedade japonesa”, afirma Hasebe.

Ron Wood, Ian McLagan e Rod Stewart, do The Faces, em Tóquio – 1974

Queen e Misa Watanabe em Tóquio – 1981

Queen em Tóquio – 1976

Queen em Tóquio – 1975

Os principais personagens dessa transformação foram devidamente registrados por ele, como meros turistas, passeando pelo Japão – e o impacto de culturas tão diversas e ao mesmo tempo tão complementares, pode ser visto em cada uma de suas fotos.

Queen em Tóquio – 1975

The Police em Kurashiki – 1981

Led Zeppelin em Hiroshima – 1971

Led Zeppelin em Hiroshima – 1971

Kiss em Tóquio – 1977

Kiss em Tóquio – 1978

Kate Bush em Tóquio – 1978

John Fogerty, do Creedence Clearwater Revival, em Tóquio – 1972

John Lydon, do Sex Pistols e do PIL, em Tóquio – 1983

John Fogerty em Tóquio – 1972

David Bowie em Tóquio – 1973

Andy Summers, do The Police, em Tóquio – 1981

Publicidade

© fotos: Koh Hasebe


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
As fotos aéreas do deserto da Namíbia parecem obras de arte abstratas