Debate

Produção de chocolate devasta quase 80% de florestas em Gana e Costa do Marfim

Redação Hypeness - 16/10/2017

Quando comemos um pedaço de chocolate eventual, ou mesmo quando nos esbaldamos em barras e mais barras em uma noite especial, não imaginamos o impacto da atual produção de chocolates sobre o meio ambiente.

De pedaço em pedaço, anualmente a demanda pelo doce mais consumido do mundo chega a quase 3 milhões de toneladas por ano – e 70% dessa produção de cacau vem de um cinturão de países africanos, entre Serra Leoa e Camarões, onde as florestas, em muito por conta dessa produção, vêm se reduzindo drasticamente.

Nos últimos 60 anos uma redução de quase 80% nas florestas da região – em especial em Gana e na Costa do Marfim, os dois maiores produtores de cacau – pôde ser medida. Não só a própria produção como o desmatamento para a plantação de mais cacau vêm destruindo as florestas da região. Se antigamente um quarto da Costa do Marfim era coberta por verde, hoje somente 4% do país segue coberto.

Grupos ambientais garantem que se a produção seguir nesse ritmo, em 2030 as florestas simplesmente desaparecerão. Naturalmente que junto com o encolhimento das matas, diversos animais, como leopardos, chimpanzés, hipopótamos e elefantes acabam ameaçados também.

 

A questão ambiental não é, no entanto, o único problema. Além de representar a sobrevivência dos fazendeiros da região – que em sua maioria quase absoluta ganham miséria, explorados por grandes empresas de chocolate como Mars e Nestlé – há a questão das condições de trabalho e do trabalho infantil, que trazem um amargor nada desejado ao chocolate que consumimos diariamente.

Publicidade

© fotos: divulgação


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Lockdown ajuda Araraquara a reduzir em 80% número de mortes por covid-19