Futuro

Esta incrível animação prevê como será a Terra em 250 milhões de anos

por: Redação Hypeness

Publicidade Anuncie

A teoria das placas tectônicas se tornou praticamente um consenso entre geólogos nas últimas décadas ao apontar que, sob os oceanos e continentes (crosta), há grandes placas se movendo na astenosfera (manto). É essa linha que indica para a existência da Pangeia, um único supercontinente que existiu há mais de 200 milhões de anos.

Desde então, os cientistas vêm estudando o movimento dessas placas, o que pode explicar fenômenos como os terremotos, por exemplo. E, sabendo que elas se movem a velocidades de 30 a 150 milímetros por ano, dependendo de qual placa é analisada, há quem se dedique a projetar como será a Terra no futuro.

Acredita-se que a Pangeia era mais ou menos assim

O geólogo norte-americano Christopher Scotese é um dos especialistas no assunto. Desde a década de 1980 ele vem tentando mapear o movimento para estudar as mudanças na distribuição dos continentes ao longo da história e também para projetar o que vai acontecer no futuro.

Publicidade

Ele mantém um canal no Youtube onde publica as animações que resultam dos seus estudos. Seu grande projeto é a Pangaea Proxima, ou a Próxima Pangeia: ele acredita que, em 250 milhões de anos, todas as porções terrestres do planeta estarão juntas novamente.

O nome do supercontinente foi modificado há poucos anos – antes, Scotese havia o batizado de Pangaea Ultima, mas decidiu mudar porque essa nomenclatura indicava que aquela seria a configuração definitiva da Terra, mas na verdade ele acredita que, caso tudo ocorra bem e o planeta siga inteiro por tempo suficiente, mesmo esse próximo supercontinente vai se separar, e depois de milhões de anos se unir novamente.

Publicidade Anuncie

Imagens: Reprodução


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Desta vez, para ficar: Criador da Amazon quer nos enviar para a lua