Debate

Ex-integrante das Pussycat Dolls denuncia abusos sofridos pelo grupo

por: Redação Hypeness

A onda de celebridades denunciando abusos sofridos durante o trabalho não para. Agora foi a vez da ex-integrante das Pussycat Dolls, a cantora Kaya Jones, denunciar o abuso sexual e afirmar que a banda funcionava como uma espécie de “rede de prostituição” comandada por Robin Antin, a quem ela chama de “mãe do inferno”.

Há alguns dias Kaya vinha comentando as diversas denúncias de abusos ocorridos em Hollywood através do Twitter e nesta sexta-feira, 13, ela decidiu falar sobre o grupo. A cantora integrou as as Pussycat Dolls entre 2003 e 2005.

Minha verdade é que eu não estava em um grupo de garotas. Estava em uma rede de prostituição. Oh, e por acaso nós cantávamos e éramos famosas. Enquanto todo mundo que era nosso dono ganhava dinheiro“, escreveu ela em uma publicação que foi retweetada por mais de 6 mil pessoas.

Quão ruim era? As pessoas perguntam. Ruim o suficiente para eu me afastar dos meus sonhos, colegas de banda e de um contrato de 13 milhões de dólares com a gravadora. Nós sabíamos que seríamos número 1 nas paradas“, continuou Kaya na rede social.

A seguir, a cantora fez referência ao suicídio da ex-integrante do grupo Simone Battle, ocorrido em 2014. “Eu quero que a ‘mãe do inferno’ confesse porque outra de suas garotas cometeu suicídio. Conte ao público como você nos destruiu mentalmente“.

Para ser parte do time, você deve ser um jogador do time. O que significa dormir com quem eles dissesem. Se você não o faz, eles não têm nada para te alavancar.

Sim, eu disse alavancar. O que significa que depois que eles te expulsam ou te deixam envolvido com drogas, eles usam isso contra você. Correto. Vitimizando a vítima novamente“.

Kaya também comentou na rede social sobre as ameaças sofridas para não denunciar os abusos. “Por que não denunciamos? Porque nós todos fomos abusados. Eu pessoalmente fui alertada que se contasse eu iria… você sabe, acabar morta ou perder minha carreira. Bem… matar você ou a sua alma, qual a diferença? Você faz isso por eles. Um adolescente vai para a cadeia por menos. Hollywood também irá? “, questiona. Neste domingo, 15, ela voltou a falar sobre o assunto no Twitter.

Robin e a gravadora ficavam com todo o dinheiro. Nós enquanto Pussycat Dolls recebíamos US$ 500 por semana. Enquanto isso éramos usadas e abusadas. Fato!

Em 2004 eu falei para os executivos de Hollywood. Em 2005 e 2006 falei à imprensa. Em 2011 eu falei novamente. Espero que a mídia possa me ouvir agora em 2017“, conclui ela.

Publicidade

Foto destaque: ruiwen / Foto topo: Kaya Jones/Instagram


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Ozzy revela Parkinson e sua mulher chora em entrevista