Inspiração

Como uma usuária do Instagram salvou um inocente do corredor da morte dias antes da execução

por: Vitor Paiva

Publicidade Anuncie

Se muitas críticas podem ser feitas aos ativistas online, que lutam por causas de seus sofás, somente clicando e sem se movendo de fato nem alcançando resultado concreto algum, o mesmo não pode ser dito de Alison Brettschneider, uma empresária americana, dona da loja 25 Park.

Com mais de 250 mil seguidores em sua conta no Instagram, seu sucesso virtual se dá devido, em parte, ao sucesso de sua marca – mas ele também é fruto da postura de Alison enquanto ativista – e foi essa postura que recentemente salvou a vida de um homem que seria executado injustamente nos EUA.

Alison não tem pudor em expor suas opiniões e causas através do Instagram, mesmo que eventualmente contrarie o senso comercial ou comum. Recentemente a empresária recebeu uma petição ainda com poucas assinaturas, que contava a história de Marcellus Williams, um prisioneiro de St. Louis que seria executado alguns dias depois, apesar de novas provas em DNA apontassem sua inocência. Marcellus era acusado de assassinato, e o estado do Missouri pretendia seguir com a execução.

 

Mesmo tendo poucos dias pela frente, Alison entrou em parafuso – estudou o caso, procurou os advogados de Marcellus, celebridades, a mídia, inundou a internet e a conta do governador do Missouri com pedidos de revisão do caso e perdão, após convocar também seus seguidores virtuais, voou até St. Louis para conversar com o governador.

THIS IS A REALLY SERIOUS POST, as SERIOUS as they come. I was made privy last night to a man who is on death row in St.Louis scheduled to be executed TUESDAY night at 6 PM. However, new evidence has emerged that points to the fact that he is INDEED INNOCENT; the DNA does not match his. They have gone to the courts to appeal asking for more time so they can present this new evidence that will have him exonerated, instead of executed. The courts rejected their pleas without any explanation 💔 However, the governor of MISSOURI can override the judges decision but he too has decided to deny it. I was up all night researching who his lawyers are, what jail he is in, how to reach the governor and spoke to their local news stations. I wrote an email at 2 AM to his lawyers after tracking them down and they responded and I am now in touch with them and extremely knowledgeable about this case. For all of you who spent days harassing me that "BLACK LIVES MATTER" put your money where your mouth (or fingers are) and sign the petition in my bio, leave tons of comments on the governor of MISSOURI instagram @ericgreitens tag your friends, repost this, get the story viral; we don't have much time. I think they are banking on the fact this story doesn't have much media attention, I would think in this racially charged political climate MISSOURI would not want the attention of ignoring the pleas to save an innocent black mans life on DEATH ROW. I'm willing to fly there and march into that court room myself and save this mans life. Please join me in this social media grass roots mission as I can not do this alone. COMMENT NOW @ericgreitens #stoptheexecution #marcelluswilliams as of now, he will be lethally injected 6 PM TUESDAY. Social media is SOO POWERFUL, let's use it for the greater good. We are coming for you @ericgreitens When you go to his account there is an option to call or email him…flood his inbox, have his phones ringing off the hook. There is an innocent mans life at stake here 🙏🏻 If you are a lawyer, a politician, have ties to MISSOURI I welcome all the support & help I can get here; let's do this 🙌🏻 @ericgreitens @ericgreitens @ericgreitens

A post shared by Alison Brettschneider (@25park) on

A essa altura, a rede de TV CNN já estava cobrindo sua missão.

Alison e Marcellus

Faltando menos de duas horas para a injeção letal, o estado finalmente emitiu uma ordem de suspensão da execução. A suspensão, porém, não é definitiva, e a luta de Alison continua para que o caso seja revisto e Marcellus enfim se torne novamente um homem livre. A história, porém, ilustra o poder que as redes sociais podem ter. “Todos nós deveríamos usar nossas plataformas para iluminar assuntos importantes e ajudar os outros”, diz Alison. “Eu tenho seguidores fieis, mas sejamos francos: sou um peixe pequeno em um mar gigante. Se eu posso ajudar a salvar um homem do corredor da morte em Missouri, imagine o que alguém como a Beyoncé ou a Kim Kardashian poderiam fazer? Nós poderíamos realmente salvar o mundo se todos entrassem na luta”.

 

Publicidade Anuncie

© fotos: Instagram


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Garota indígena de 13 anos é indicada ‘Nobel infantil’ da paz