Debate

‘É coisa de preto’: Tudo o que sabemos sobre a fala racista que derrubou William Waack

por: João Vieira

Publicidade Anuncie

O jornalista William Waack teve um vídeo comprometedor vazado na tarde desta quinta-feira (8).

Há exatamente 1 ano, o âncora do Jornal da Globo estava em Washington, nos Estados Unidos, cobrindo o pleito que elegeu Donald Trump à Presidência do país. O comentarista Paulo Sotero participou dos debates neste e em outros dias.

Paulo Sotero e William Waack cobriram eleição de Trump. (Foto: Reprodução)

Naquele dia, 8 de novembro de 2016, um carro passou buzinando na frente do estúdio panorâmico da Globo quando Waack e Sotero se preparavam para entrar ao vivo, e o jornalista teve a seguinte reação:

Tá buzinando por quê, seu merda do cacete? Não vou nem falar, porque eu sei quem é… é preto. É coisa de preto!“, ele diz.

Reação imediata
O âncora caiu em desgraça – ao menos nas redes sociais – após o vazamento.

Segundo o BuzzFeed News, ao receber a notícia, William disse não se lembrar do que havia dito, mas garantiu não ter sido racista.

Em entrevista ao portal, Paulo Sotero também alegou não se lembrar do ocorrido, mas que “William não é assim”. “Eu não consigo ouvir o que ele diz. Não me impactou na hora, e teria me impactado, porque eu não brinco com racismo, sexismo e homofobia”, garantiu.
Atitude da Globo
Cerca de sete horas após o vazamento, a Globo se manifestou e informou a suspensão do profissional até que o caso seja apurado e medidas definitivas possam ser tomadas.

Às pressas, Renata Lo Prete, substituta oficial de Waack no Jornal da Globo e apresentadora do Jornal das 10, da Globo News, foi chamada para a bancada do noticiário. Logo de cara, ela leu na íntegra o texto passado pela direção da emissora à imprensa e ao público através do portal G1.

Publicidade Anuncie


João Vieira
Com seis anos de jornalismo, João Vieira acredita na profissão como uma ótima oportunidade de contar histórias. Entrou nessa brincadeira para dar visibilidade ao povo negro e qualquer outro que represente a democracia nos espaços de poder. Mas é importante ressaltar que tem paixão semelhante pela fofoca e entretenimento do mais baixo clero popular.


X
Próxima notícia Hypeness:
Após 25 anos tentando, Cleusa consegue o divórcio: ‘Foi a pressão do Brasil e do mundo que fez isso’