Inspiração

Estes ratos gigantes salvam vidas humanas e de outros animais ‘caçando’ minas terrestres

por: Joao Rabay

As minas terrestres custam vidas de humanos e de grandes animais no Zimbábue, além de fazerem vários cidadãos perderem membros do corpo, especialmente pés e pernas. Elas permanecem nos terrenos anos após o fim de conflitos, e detectá-las é uma tarefa árdua.

Uma ONG belga chamada Apopo está presente na África para livrar o solo dessas ameaças. Além de máquinas e de detectores de metais, eles utilizam ratos treinados por nove meses para localizar os explosivos. Eles são capazes de encontra-los graças ao olfato e à audição, e são leves o suficiente para não ativá-los.

  

Depois de localizadas, as minas são desativadas ou detonadas por voluntários da Apopo. De acordo com a ONG, um animal é capaz de examinar a área equivalente à de uma quadra de tênis em 30 minutos, enquanto um ser humano com detector de metais demoraria quatro dias.

A Apopo garante que os animais são bem tratados durante toda a vida, e que nenhum jamais morreu em atividade de detecção de explosivos. Graças a eles, grandes animais podem fazer suas rotas de migração em paz, e comunidades do Zimbábue podem acessar fontes de água e terras férteis para se desenvolver em segurança.

A ONG recebe doações para manter os ratos bem alimentados e treinados, e, nos 20 anos de atuação no Zimbábue, os animais já localizaram mais de 100 mil minas, além de detectarem, pelo odor, pacientes com tuberculose: já foram mais de 12 mil casos registrados.

Publicidade

Fotos: Reprodução/Apopo


Joao Rabay
Gosta de ler boas histórias para aliviar a mente no meio de tantas notícias ruins. Ainda acredita que elas podem inspirar boas mudanças e fica feliz quando pode contá-las.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Internos da Fundação Casa estão na final de Olimpíada de Matemática