Inspiração

Conheça Kihnu, a vila na Estônia totalmente comandada por mulheres

Mari Dutra - 29/11/2017 | Atualizada em - 11/01/2019

A ilha de Kihnu, na Estônia, é praticamente um paisagem sem homens durante a maior parte do ano. Localizada a cerca de 11 quilômetros da costa do país, a área tem apenas 400 habitantes e é comandada pelas mulheres.

Enquanto a população masculina do vilarejo passa meses distante da cidade para pescar, a mulherada resolve todo o necessário. Elas trabalham no campo, governam a região e criam os filhos.

De acordo com o Oddity Central, a líder da comunidade é Mare Matas, também responsável pela presidência da Fundação Cultural Kihnu. Ao veículo, Mare contou que as mulheres do vilarejo ainda usam vestimentas tradicionais no dia a dia e cantam e dançam músicas que chegam a ter mais de dois mil anos.

Um dos traços culturais do pequeno povoado, o casamento em Kihnu foi reconhecido pela Unesco como Patrimônio Imaterial da Humanidade em 2013. Além disso, o Museu Kihnu foi renovado como uma forma de preservar a história local para as futuras gerações, que vêm abandonando a ilha por falta de oportunidades.

Embora os jovens estejam deixando a área, muitos turistas europeus se interessam por visitar a vila e conhecer de perto suas tradições. Para chegar até lá, é possível tomar um avião ou ferry saindo de Pärnu, no sudoeste da Estônia.

Publicidade

Créditos: Foto 1 via Olev Mihkelmaa; Fotos 2, 3, 5 via KalervoK; Foto 4 via Laima Gūtmane


Mari Dutra
Criadora do Quase Nômade, contadora de histórias, minimalista e confusa por natureza, com os dois pés (e um pet) no mundo. Chega mais perto no Instagram.