Arte

Anitta se despede de 2017 no TOP 10 da Billboard, deixando Beyoncé, Gaga e Drake para trás

por: Redação Hypeness

Crise, crise, crise… Só se fala em crise. Bem, temos outro motivo para conversar, gostando você ou não: Anitta.

Neste difícil 2017 que vai se encerrando, Anitta tinha um plano: se internacionalizar, levar o seu funk e o melhor do pop brasileiro para o topo do planeta.

E daí que plano traçado é plano concretizado. Check Mate, lembra?

Anitta, anunciou a Billboard nesta quarta-feira (27), é uma das artistas mais ouvidas, clicadas e poderosas do planeta. O estopim foi o clipe de “Vai Malandra”, o mais recente da estratégia de soltar um hit por vez, sem disco, mas com clipe e investimentos monstruosos de mídia.

A própria Billboard fez uma matéria para ir além do “Vai Malandra”, fazendo um Top 5 de clipes que são capazes de resumir bem o fenômeno Anitta.

Como os hits anteriores, “Vai Malandra” também conta com artistas nacionais e internacionais para dar aquela presença maior. Desta vez foram MC Zaac, Maejor, Tropkillaz e DJ Yuri Martins.

O lançamento catapultou a brasileira 30 posições de uma vez, deixando Eminem (11º), Lady Gaga (13º), Drake (16º), Beyoncé (21º) e Justin Bieber (22º) para trás.

O ranking Social 50 da Billboard avalia os artistas mais comentados nas redes sociais, com base no número de seguidores e interação. Claro, as execuções das músicas também entram na conta. No YouTube, por exemplo, o clipe de “Vai Malandra” já acumula 68,6 milhões de visualizações.

Por falar nisso, Anitta já havia garantido o Top 20 de músicas mais ouvidas no mundo todo em medição do Spotify. Não é sem motivos que o projeto musical de Anitta ganhou o nome de Check Mate.

Atualmente, Anitta tem duas canções entre as 50 mais tocadas do mundo: “Vai Malandra”, na 28ª posição, e “Downtown”, na 20ª. No Brasil, Anitta é simplesmente número 1 e 2. Campeã e vice, se é que você me entende…

Anitta é também a rainha do “textão” neste final de ano.

Um deles, dos mais felizes, é do jornalista Ben-Hur Bernard, que contextualiza o estouro de “Vai Malandra”:
É isso que alguém inteligente, no meio de uma crise, faz: se compreende, compreende seu ambiente, sua possibilidade e potencialidade e, por fim, explora. O meme que brinca com a sagacidade de Anitta em meio a uma crise política, econômica, institucional… pode fazer rir, mas é sério. E que não se engane, é Anitta quem se administra, quem se empresaria, quem se dirige artisticamente e trabalha o marketing como alguém que tem anos de experiência.

O vídeo de “Vai Malandra”, por sua vez, gravado no Morro do Vidigal, com pessoas reais da comunidade, sendo inclusive algumas delas influencers digitais, não mascara ou romantiza a favela, mas faz o oposto. Anitta explora desde as suas celulites na bunda, passando pelos biquínis de fita isolante, até as fiações tortas das ruas estreitas da favela. Um marqueteiro ou um ministro da Economia do vampiro Michel Temer faria o oposto, esconderia, maquiaria. Claro, a ideia aqui é mostrar o quanto nós podemos ser iguais aos do norte. Anitta tem uma ideia diferente, no meio dessa muvuca de chão tremulante: o melhor é mostrar o quanto somos diferentes, não só nós em relação a eles lá no norte, mas também entre nós mesmos. Anitta entendeu a complexidade do brasileiro contemporâneo por meio do consumo e entendeu como explorar isso. Agora colhe os frutos. Anitta decretou K.O. ao viralatismo brasileiro, descendo, rebolando e quicando. Enquanto estamos todos buscando lá fora (como sempre foi há mais de 500 anos) os remédios de nossas dores de cabeça, Anitta extraiu da esquina da sua casa uma pomadinha milagrosa que funciona: a malandragem.

O The Guardian, um dos mais prestigiosos jornais do mundo, já havia se debruçado sobre todas as “polêmicas” da produção da brasileira. Anitta respondeu todas elas, diga-se de passagem: “A ‘malandra’ do clipe não é objetificada, ela é a dona da história. E ela não é representada somente por mim, mas por todas as mulheres […] O clipe mostra diversos tipos de beleza, com diversas cores, pesos e gêneros. E toda essa beleza também é real, assim como a minha celulite”, afirmou ao jornal O Globo.

Se você torce o nariz para a música é hora para, ao menos, bater palmas para a mulher brasileira que botou o planeta para balançar com o som que nasceu nas nossas periferias. Com celulite, com textão e com milhões e milhões na conta bancária, Anitta é a verdadeira malandra.

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Festival seleciona cinéfilo para assistir filmes por 1 semana em farol perdido no meio do mar