Ciência

Este é o maior organismo vivo já descoberto no planeta Terra

por: João Vieira

Está hospedado nas Montanhas Blue, na região leste do estado de Oregon, nos Estados Unidos, um dos maiores e mais velhos organismos ainda existentes no planeta Terra.

Trata-se de um fungo gigante com cerca de 2.400 anos de vida. O nome científico dele é Armillaria ostoyae, também conhecido como cogumelo de mel, e ocupa uma área de 2200 acres, algo próximo de 8,903,084 metros quadrados, segundo o site Oddity Central.

Essa é a área ocupada pelo cogumelo. (Foto: Reprodução)

As medidas fazem dele o maior organismo já descoberto por aqui. Por incrível que pareça, o cogumelo começou a vida como um ser vivo que era imperceptível a olho nu e cresceu nos últimos dois milênios, embora alguns especialistas acreditem que ele possa ter até 8 mil anos de vida.

Cogumelo ameaça vegetação local. (Foto: Dohduhdah/Reprodução)

O fungo se espalhou pela floresta na região, matando toda a vegetação e insetos que apareciam em seu caminho, tornando-se não apenas o maior, mas o mais mortal dos organismos conhecidos.

Ele costuma adquirir sua forma mais impressionante durante o outono. No resto do ano, se transforma em algo semelhante a uma camada branca parecida com tinta de latex. É nessa condição aparentemente menos nociva, porém, que ele se torna mais poderoso.

O cogumelo de mel possui benefícios para a natureza, como separar nutrientes contidos no solo. Diferente dos outros cogumelos, porém, este funciona como um parasita nos troncos de árvores, sugando a vida delas através das décadas em que ali se hospeda.

Cogumelo de mel. (Foto: Antrodia/Reprodução)

“Os fungos crescem por toda a base da árvore e, então, matam todo o tecido. Pode demorar 20, 30, 50 anos até que elas morram. Quando acontece, não sobra qualquer nutriente na árvore”, explicou o patologista da U.S. Forest Service Greg Filip ao site Oregon Public Broadcasting.

O cogumelo de mel pode ser encontrado em outros lugares do mundo, como em Michigan, também nos Estados Unidos, e na Alemanha, mas nenhum é tão grande e antigo quanto este das Montanhas Blue.

Apesar de cientistas acharem a descoberta fascinante, ela tem preocupado a indústria local há muito tempo. O organismo tem causado destruição de árvores preciosas para os moradores desde que eles se entendem por gente. Nos anos 1970, pesquisadores desenvolveram uma maneira de preparar o solo com mecanismos eficientes de defesa contra o cogumelo.

Durante os 40 anos seguintes, a iniciativa deu sinais de que funcionaria, com árvores passadas por este método conseguindo sobreviver ao ataque do fungo. No entanto, a demanda intensa de trabalho, investimento financeiro e estrutura fizeram com que o projeto não fosse para frente.

Fungo é problema na região há décadas. (Foto: Reprodução)

Dan Omdal, junto do departamento de recursos naturais de Washington, está tentando uma abordagem diferente. Ele e sua equipe plantaram uma série de espécies de coníferas na região onde árvores foram mortas pelo Armillaria, com a esperança de que ao menos uma delas se mostre resistente ao fungo.

“Estamos buscando uma árvore que consiga crescer na presença dele. Hoje, é bobagem plantar as mesmas espécies em áreas de colheita que foram infestadas pela doença”, explicou Omdal.

Publicidade


João Vieira
Com seis anos de jornalismo, João Vieira acredita na profissão como uma ótima oportunidade de contar histórias. Entrou nessa brincadeira para dar visibilidade ao povo negro e qualquer outro que represente a democracia nos espaços de poder. Mas é importante ressaltar que tem paixão semelhante pela fofoca e entretenimento do mais baixo clero popular.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Mancha vermelha vista em Júpiter é furacão do tamanho da Terra