Debate

Um detalhe complexo de ‘Vai, Malandra’ que quase passou batido tem gerado um grande debate

por: Redação Hypeness

“Vai, Malandra” foi o último single lançado por Anitta em 2017, dentro do projeto #CheckMate. Desde o início, pelas imagens divulgadas do clipe, gravado no Vidigal, morro do Rio de Janeiro, a expectativa era grande para acompanhar o retorno da cantora, hoje em busca de sucesso internacional, ao funk, sua casa.

Anitta gravou clipe no Vidigal

E o hit não deixou a peteca cair. Feito em parceria com Mc Zaac, Maejor ft. Tropkillaz e o DJ Yuri Martins, se tornou a canção mais ouvida em 24h na história do Spotify Brasil, com 1,172,776 plays, além de já somar mais de 13 milhões de views no Youtube até a manhã desta terça-feira (19).

Além disso, “Vai, Malandra” ganhou imensos elogios por conta de sua representatividade. Além de valorizar artistas e moradores da comunidade carioca, Anitta ainda apareceu no clipe sem nenhum retoque, mostrando as celulites e mandando um recado sobre a valorização da beleza natural do corpo da mulher.

Mas há um detalhe não tão positivo assim ganhando grandes proporções no Twitter.

Nos últimos 13 anos, Terry Richardson tem sido o centro de diversas denúncias de abuso e assédio sexual dentro do universo da moda. Muitos o consideram uma espécie de Harvey Weinstein do setor, tendo sido chamado até de “predador” por algumas de suas vítimas.

Terry Richardson, o “detalhe”

Richardson é conhecido por trabalhar com estrelas do mundo pop. Nos últimos anos, foi parceiro profissional de Beyoncé e Rihanna, por exemplo, duas figuras importantes da representatividade feminina na música internacional.

Só que essas duas estrelas trabalharam com Richardson em uma época diferente da que vivemos atualmente. Os dois ensaios e o clipe da canção “XO”, de Beyoncé, que foi dirigido pelo fotógrafo, foram lançados em 2013.

Neste ano, Hollywood e o mundo da cultura pop têm sido atingido por todos os lados com denúncias de estupros e assédios sexuais. Ed Westwick, Kevin Spacey, Weinstein, Johnny Depp, Sylvester Stallone… a lista é grande.

Tanto que o dicionário americano elegeu “feminismo” como a palavra do ano nos Estados Unidos.

Por isso, muitos se decepcionaram quando Terry Richardson foi anunciado como diretor de “Vai, Malandra”.

A reação negativa quase instantânea fez Anitta se pronunciar. A cantora disse que não tinha conhecimento sobre o histórico do diretor antes da gravação do vídeo, por mais que as notícias, ao menos na mídia internacional, já fossem bem numerosas.

Ela ressaltou, porém, que não iria cancelar o lançamento do trabalho “levando em consideração o imenso trabalho digno de todos os artistas e colaboradores que de alguma maneira fizeram este clipe acontecer”. Leia abaixo:

“Imediatamente após tomar conhecimento sobre as acusações de assédio que envolvem o diretor Terry Richardson solicitei que minha equipe avaliasse o contrato para verificar o que juridicamente poderia ser feito. Estudamos todas as possibilidades, que foram além das questões jurídicas, passando também pelo envolvimento emocional, levando em consideração o imenso trabalho digno de todos os artistas e colaboradores que de alguma maneira fizeram este clipe acontecer. Esse não é um trabalho de uma pessoa só. Manterei minha promessa aos moradores do Vidigal e aos meus fãs lançando o clipe de “Vai Malandra” em dezembro deste ano. Mostrando um pouco das minhas origens e mais sobre o funk carioca, do qual me orgulho muito de ser representante”

Há, porém, que não tenha se conformado com essa justificativa e acredite que a artista falhou ao não procurar saber com quem estava trabalhando antes de contratá-lo.

Como também há quem compreenda a decisão de Anitta em lançar o hit mesmo assim, com boas observações também.

Publicidade

Fotos: foto 1: Divulgação; foto2: Youtube/Reprodução; foto 3: Terry Richardson/Divulgação; foto 4: Terry Richardson/Instagram; foto 5: Terry Richardson/Instagram


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Homem pode enfrentar 5 anos de prisão por usar gato como arma contra a polícia