Inspiração

Após apoio médico e terapia, IBM subsidia tratamento hormonal a funcionários trans

Redação Hypeness - 05/01/2018

Segundo a Associação Nacional de Travestis e Transexuais (ANTRA), 90% das travestis e transexuais se prostituem no Brasil. Já de acordo com a Rede Nacional de Pessoas Trans do Brasil (RedeTrans), 82% das mulheres transexuais e travestis abandonam o Ensino Médio por causa da discriminação na escola e, em muitos casos, pela falta de apoio da família.

Estes tristes dados revelam o quanto é difícil uma pessoa trans arranjar um emprego formal, mas, felizmente, empresas como a IBM começam a mudar esta realidade acolhendo a comunidade LGBT com a dignidade merecida.

No dia 18 de dezembro de 2017, a multinacional lançou o PAT (Programa de Assistência à pessoa Trans) que além do apoio médico, psicoterápico, psicoterapêutico aos seus funcionários trans, também concede subsídio de 75% na compra da terapia hormonal, com extensão também aos filhos/dependentes legais de seus funcionários que sejam transgêneros.

O programa é um avanço nas políticas internas da empresa e uma conquista para cada um de seus funcionários trans que hoje estão em redesignação de gênero.

Essa cobertura médica é inédita no plano de medicamentos da IBM Brasil. A empresa também já concede licenças paternidade e maternidade inclusivas, além de aconselhamentos a seus funcionários LGBT+ e seus familiares.

Publicidade

Imagens: Reprodução


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.


Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
‘A mãe tá ON, mas tá cansada’: ação pede folga para profissionais-mães na sexta-feira