Inspiração

Há cerca de 1400 anos os vikings já plantavam maconha, aponta pesquisa

por: Redação Hypeness

Basta um breve passeio pela história para se descobrir que a proibição e a demonização cultural da maconha são eventos recentes, ocorridos já no século 20 – enquanto a boa relação entre o ser humano e a planta, essa sim era uma amizade ancestral. Vide a recente pesquisa conduzida pelo Museu Nacional da Dinamarca que, através de um exame no solo de um sítio arqueológico, confirmou que desde o século 7 o plantio de maconha era comum entre os povos vikings que habitavam a região.

Realizada no sítio arqueológico de Sosteli, a pesquisa revelou que o cultivo de maconha acontecia na Noruega entre os anos 650 e 800, na região, e que, entre os muitos usos possíveis, incluía-se provavelmente a utilização da fibra de cânhamo para a feitura de roupas, cordas, velas de barco e outros tecidos. O uso recreativo ou mesmo terapêutico da planta como droga não pôde ser confirmado, mas indícios apontam fortemente para tal possibilidade.


A região de Sosteli, na Noruega

Em outro sítio arqueológico, um esqueleto de uma idosa que, segundo análises, sofria de doenças crônicas, foi encontrado com uma pequena sacola de couro contendo sementes da cannabis – é possível concluir que a senhora utilizava a planta como analgésico.


Exemplo de corda antiga feita de fibra de cânhamo

Esses não são, no entanto, nem de longe os mais antigos registros do uso da maconha pelos seres humanos: fragmentos de folhas de maconha foram encontrados ao lado de corpos mumificados na China com mais de 2,5 mil anos.


Cena da série Vikings

 

Publicidade

© fotos: divulgação


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Como uma das maiores favelas da Ásia controlou o coronavírus?