Futuro

Insatisfeito com a educação convencional, Elon Musk criou uma escola para seus filhos

por: Redação Hypeness

O bilionário e gênio da tecnologia Elon Musk não estava satisfeito com a educação que seus cinco filhos estavam recebendo em uma escola norte-americana, então fez o que muita gente sonha em poder realizar: criou seu próprio colégio, seguindo as diretrizes que lhe pareciam mais adequadas.

A criação da Ad Astra (que em latim significa “Para as estrelas”) é um segredo que Musk demorou a revelar, e cujos detalhes ele mantém sob sigilo – até porque se trata de um modelo educacional que o sul-africano ainda está testando e aperfeiçoando com a ajuda de professores.

Muito do que se sabe sobre a Ad Astra foi revelado por Musk em uma entrevista à TV chinesa em 2015, ano seguinte à fundação da escola. O inventor contou que todas as crianças da escola estudavam juntas, sem separação por série.

“Algumas pessoas amam inglês ou linguagem. Algumas amam matemática. Outras, música. Diferentes habilidades, diferentes tempos. Faz mais sentido adaptar a educação para atender suas aptidões e habilidades”, disse Musk para resumir o primeiro princípio de seu modelo.

O segundo princípio é que a escola deve focar na solução de problemas. “Ensinar sobre o problema, não sobre as ferramentas”, ele explica. “Vamos dizer que você quer ensinar o funcionamento de motores. Uma abordagem tradicional seria apresentar tudo sobre chaves de fenda e chaves-inglesas. Esse é um jeito muito complicado de se fazer”.

“Outro modo é dizer ‘isso aqui é um motor, agora vamos desmontá-lo’. Como desmontar? Com uma chave de fenda. É para isso que ela serve. Assim uma coisa importante acontece: a relevância das ferramentas se tornam aparentes”. Ou seja, focar não nas características da ferramenta, mas no que ela pode fazer.


Elon Musk

A entrevista é de 2015, e Musk nunca mais falou publicamente sobre a escola. Pouco mais sobre a Ad Astra se tornou público, até que Beatriz Díez, correspondente da BBC em espanhol, conseguiu autorização para fazer uma visita informal, sem registros em foto ou vídeo e com poucos detalhes expostos.

De acordo com Díez, não é preciso passar por um teste de QI para ser aceito na escola, ao contrário do que já foi noticiado. A maioria do estudantes tem pais trabalhando na SpaceX, uma das empresas comandadas por Musk, mas também é possível buscar uma vaga graças a indicações.

É preciso interagir com a equipe da escola, que avalia se o modelo educacional seria adequado às postulantes. Eram 20 alunos em setembro de 2015, e hoje há 40 matriculados. O número pode aumentar em breve, mas a ideia é que ele permaneça limitado para manter o formato inovador de educação.

Peter Diamandis, presidente da X Prize Foundation, organização que tem como objetivo promover desenvolvimento tecnológico que beneficie a humanidade e da qual Musk também participa, chegou a dar mais detalhes sobre a Ad Astra.


Peter Diamandis

De acordo com ele, um elemento comum nas aulas é a discussão sobre moral e ética. Os professores apresentam cenários com os quais as crianças podem vir a se deparar no mundo real e estimulam o pensamento.

“Por exemplo, imaginem uma pequena cidade com um lago, cuja maior parte da população trabalha para uma fábrica. A empresa está poluindo o lago e acabando com a vida nas águas. O que você faria? É colocado que fechar a fábrica deixaria muita gente sem emprego. Por outro lado, manter tudo como está significa a morte do lago. Esse tipo de conversa/debate permite que as crianças vejam o mundo de um modo crítico importante”, revelou Diamandis.

Todas as características da Ad Astra apontam para um futuro que Musk já revelou vislumbrar várias vezes: com estímulos para que grandes avanços sejam alcançados, mas sem perder de vista a responsabilidade ética que novas tecnologias inevitavelmente carregam.

Publicidade

Fotos: Divulgação


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Nova lei da Califórnia pune quem discriminar os cabelos crespos