Debate

Juíza italiana revela violências de Robinho contra vítima de estupro

por: Redação Hypeness

A vida do atacante Robinho ganha contornos cada vez mais dramáticos. Condenado em novembro de 2017, acusado de estupro coletivo, o ex-atacante do Santos teve agora os detalhes do crime revelados por uma das juízas responsáveis pelo caso sob tutela do Tribunal de Milão, presidido por Mariolina Panasiti.

Para relembrar, tudo aconteceu em uma boate da cidade de Milão em janeiro de 2013. Robinho abusou da vítima de origem albanesa em em conjunto com outros cinco homens. A é de quando o brasileiro figurava entre os atletas mais bem pagos do tradicional Milan. 

Robinho é acusado de estupro na Itália

O relatório de 28 páginas aponta que a jovem foi humilhada repetida vezes pelos envolvidos, além de ressaltar o “desprezo absoluto” de Robinho e Ricardo Falco (outro envolvido) pela mulher. Escritos revelam conversas interceptadas pela justiça italiana com comentários do grupo sobre o estupro coletivo.

Aos jornalistas, a juíza garante que a mulher foi “exposta a humilhações repetidas, bom como atos de violência sexual pesados.” A magistrada afirma que os “termos chulos e desdenhosos” são “sinais inequívocos de falta de escrúpulos e quase consciência de uma futura impunidade”. Ela ainda aponta o fato de o acusado debochar do acontecido por inúmeras vezes, “destacando assim um absoluto desrespeito pela condição da vítima”.

O caso de estupro envolvendo um nome de destaque no futebol brasileiro, com passagens por Milan e Real Madrid, revela a necessidade de se discutir a cultura do estupro, tão presente no mundo da bola. Ainda é comum clubes, os próprios atletas e a imprensa esportiva se esquivarem do tema, como fez o zagueiro Gabriel, colega de time de Robinho no Atlético-MG, que em entrevista afirmou ser “muito ruim uma acusação dessas, sem que ele tenha feito nada”.

Feministas do Galo protestam contra Robinho

Em um meio predominantemente machista e masculino, as manifestações mais contundentes sobre o assunto vieram por meio de um protesto realizado pelo Grupo de Feministas do Galo, que pendurou faixas no centro de treinamento do clube condenando os atos praticados pelo então jogador atleticano e o silêncio por parte da diretoria do Atlético-MG.

Vale dizer que este não é a primeira situação de abuso sexual envolvendo Robinho. Em 2009, quando defendia o Manchester City da Inglaterra, o atleta foi acusado por uma mulher de estupro em uma boate de Leeds, o que levou o jogador a viajar ao Brasil com medo de ser preso pela polícia europeia. Atualmente Robinho joga na Turquia. 

Publicidade

Foto: Divulgação


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Indicado ao Oscar, “Parasita” revela as camadas do capitalismo de forma tragicômica