Debate

A emocionante homenagem de Viola Davis à Marielle Franco

por: Kauê Vieira


O assassinato da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes está completando sete dias e até o momento sem respostas. Quem são os autores? Quais são as motivações do crime?

Viola Davis homenageou a luta de Marielle Franco

Enquanto as perguntas ainda pairam no ar, a repercussão do caso está cada vez maior, chamando a atenção de figuras importantes das artes.

As reações vieram de todas as partes, como no mundo da moda, representado por nomes como a ex-modelo Naomi Campbell e o apresentador de TV, modelo, ator e drag queen RuPaul, ambos demonstrando inconformismo com a perda. A voz de Marielle está ecoando também em Hollywood. 


Vencedora do Oscar na categoria de de Melhor Atriz Coadjuvante por seu papel no filme Um Limite Entre Nós, Viola Davis usou suas redes sociais para manifestar indignação e exaltar a biografia da quinta vereadora mais votada do Rio de Janeiro.

“Eu apoio e luto com vocês, Brasil. Viva Marielle e Anderson!”, escreveu em postagem com uma fotografia de Marielle sorrindo. A atriz disse considerar Marielle Franco “uma mulher forte” e que apoia a luta dos brasileiros pela equidade racial e direitos humanos. 

“Acabo de saber sobre esta mulher corajosa, #MarielleFranco, que lutou pelos direitos dos pobres nas favelas”, escreveu nas redes sociais a ganhadora do Oscar de melhor atriz coadjuvante pelo longa Um limite entre nós (2016). ‘Eu apoio e luto com vocês, Brasil!!’, continua. “Viva Marielle e Anderson!!!,” disse.

Quem matou Marielle? A pergunta ecoa ao redor do mundo

A imprensa internacional também acompanha o caso de perto. Jornais importantes como o britânico The Guardian, o francês Le Monde os norte-americanos The New York Times e Washington Post foram alguns dos destaques.

Na última terça-feira (20), Marielle estampou a capa do Post em uma grande reportagem sobre seu trabalho em defesa dos direitos humanos e a importância de se debater raça e racismo no Brasil. A matéria aponta a relevância da questão racial na execução. A publicação defende sua tese com dados como os que demonstram que em 2017 80% dos mortos pela polícia eram negros ou pardos.

Ainda citando a questão racial, o Washington Post critica alguns setores do que chama de “elite branca brasileira”, apontando a recusa deste setor de analisar a presença de motivações raciais neste crime hediondo contra Marielle.

Quem também lembrou de Marielle Franco foi a cantora Katy Perry. Durante show realizado na Praça da Apoteose, no Rio de Janeiro, ela recebeu a irmã e a filha da parlamentar para uma homenagem emocionante. 

Publicidade

Foto: Reprodução


Kauê Vieira
Nascido na periferia da zona sul de São Paulo, Kauê Vieira é jornalista desde que se conhece por gente. Apaixonado pela profissão, acumula 10 anos de carreira, com destaque para passagens pela área de cultura. Foi coordenador de comunicação do Projeto Afreaka, idealizou duas edições de um festival promovendo encontros entre Brasil e África contemporânea, além de ter participado da produção de um livro paradidático sobre o ensino de África nas Escolas. Acumula ainda duas passagens pelo Portal Terra. Por fim, ao lado de suas funções no Hypeness, ministra um curso sobre mídia e representatividade e outras coisinhas mais.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
CEO usa Linkedin para reclamar de candidata que negou entrevista de emprego no domingo