Debate

Cão morre em compartimento de bagagens após orientação equivocada de comissário

por: Redação Hypeness

Durante um voo entre as cidades de Houston e Nova York, nos Estados Unidos, um buldogue francês acabou morrendo, após o comissário de bordo da companhia aérea United exigir que ele fosse acomodado no compartimento de bagagens de mão, localizado acima das poltronas.

Segundo passageiros, a mulher embarcou com o cachorro e duas crianças e enquanto se acomodava foi pressionada pelo comissário de bordo para colocar seu animal no armazenamento interno de bagagens.  

O voo durou três horas e meia e ao final, o cão foi encontrado morto, provavelmente pela falta de oxigênio. Segundo a Maggie Gremminger, que estava sentada atrás da dona do animal, a atitude do funcionário da United causou estranhamento.

Em 2017 a United bateu recorde em mortes de animais nos ares

“Eu testemunhei que um comissário de bordo instruía uma mulher a colocar seu cachorro no bagageiro”, disse ao site da especialista em viagens One Mile at a Time.

Já em solo e ciente da causa, o funcionário alegou desconhecer a presença do cachorro dentro do compartimento, mas mesmo assim foi aberta uma investigação pela empresa aérea.

“Nós assumimos a responsabilidade total por essa tragédia e expressamos nossas condolências à família e estamos empenhados em apoiá-los”, disse United Airlines em nota.

Em tempo, esta não é a primeira vez que a United se envolve em um acidente deste tipo. Recentemente a gigante norte-americana foi alvo de processo por donos de um coelho que também morreu em um avião. Inclusive, no ano 2017 a companhia teve o maior número de mortes de animais dos Estados Unidos. Ao todo foram 18 mortos e 13 feridos.

Publicidade

Foto: Reprodução/Distractify


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Gêmeas ricas, secretária e prefeito. Brasil negacionista fura fila de vacinação contra a covid-19