Roteiro Hypeness

Fomos até Nova York conhecer o recém-inaugurado Museu do Chocolate

por: Gabriela Alberti

Uma das melhores coisas de Nova York deve ser, sem dúvidas, seus museus. Tem museu de arte moderna, de arte clássica, de arte experimental, de história natural, do espaço, do mar, da imagem e movimento, da fotografia, de cera, das crianças, que conta a história da cidade, dos imigrantes, da ciência e até do sexo. No verão do ano passado, teve até um museu pop-up inteiramente dedicado ao sorvete que fez o maior sucesso por lá.

No início deste ano foi a vez da cidade receber um Museu do Chocolate. Inaugurado em março e idealizado pelo chocolatier Jacques Torres, o museu fica ao lado de uma de suas famosas lojas espalhadas pela Big Apple. Batizado de “The Chocolate Museum and Experience with Jacques Torres”, ele funciona de quarta a domingo, das 10h às 17h.

Na minha última visita a cidade, fiquei curiosa e resolvi ir até lá para conhecer o tal do museu. Peguei o metrô 1 na estação da Times Square e parti rumo a Downtown. Desci na estação Houston Street (curiosidade: esse Houston é pronunciado diferente do Houston da cidade norte-americana. Enquanto a cidade é algo como ‘Riuston’, a rua de Nova York que dá nome a estação é pronunciada como ‘Ráuston’), e em menos de uma quadra já estava no local.

Quem pensa que vai encontrar apenas um museu que conta a história e algumas curiosidades do cacau e do chocolate, está inteiramente enganado! Há sim, muitos dados e informações legais, com fotos e alguns instrumentos antigos usados no preparo dos primeiros chocolates criados, mas há também duas maravilhosas degustações para os chocólatras de plantão.

Logo no início, você passa por um corredor com fatos interessantes, como por exemplo a importância do cacau na história das antigas civilizações. Você sabia que os astecas coloriam o cacau e até mesmo misturavam com sangue, tudo isso para fazer oferendas aos deuses? Ou que o cacaueiro era considerado sagrado por muitas tribos e suas sementes eram tão valiosas que chegaram a ser usadas como moeda? Curioso, né?!

Continuando o passeio, chegamos a área onde acontece a primeira degustação. Uma moça muito simpática explica um pouco sobre o cacau e como a “mágica” para que ele vire chocolate acontece, para então preparar um chocolate quente que é oferecido aos visitantes. Ao lado deste local, há uma sala onde um documentário sobre o tema é exibido.

Se você for até o museu com crianças, esse é o momento de fazer uma pausa com elas. Saindo da primeira degustação, há um espaço dedicado aos pequenos, com alguns brinquedos e chocolates disponíveis.

Seguindo em frente, é possível observar uma exposição com algumas artes criadas com chocolate, ao melhor estilo Vik Muniz, no caminho pra a sala onde ocorre a segunda degustação. Ao chegar lá, já damos de cara com uma máquina de chocolate que é capaz de deixar qualquer amante dessa verdadeira iguaria babando. Dica: não vá até lá se estiver de TPM!

Um rapaz então ensina como os bombons das lojas Jacques Torres são feitos, com direito a passo a passo e, claro, degustação dessas belezuras no final. Essa é a última etapa do museu, mas não do passeio, já que ao sair dessa sala entramos direto em uma das lojas da rede.

Lá, é possível sentar e tomar um café acompanhado de um doce, comprar chocolates para presentear ou ainda escolher entre inúmeros bombons disponíveis e montar sua própria caixinha do amor.

Todo o tour leva aproximadamente 1 hora, e custa 15 dólares (10 dólares para crianças de 4 a 12 anos e 12 dólares para estudantes, militares e idosos). Lembrando que além das duas degustações com direito a demonstrações, curiosidades e tudo mais, há também chocolates espalhados pelo local para serem consumidos à vontade. Levando isso em consideração, achei o valor da entrada até que razoável. Afinal, estamos falando de um verdadeiro open chocolate!!!!

SERVIÇO

The Chocolate Museum and Experience with Jacques Torres

350 Hudson St

De quarta a domingo, das 10h às 17h

Entrada: U$15

mrchocolate.com/museum

 

Publicidade

Imagens © Gabriela Alberti


Gabriela Alberti
Aquariana, curitibana, canhota e (só um pouco) teimosa. Curiosa desde o berço, tô sempre em busca de novidades, da senha do wi-fi, de novas séries para virar o fim de semana e de passagens promocionais para, quem sabe um dia, dar a volta ao mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Por que Cannes é um dos principais polos criativos do mundo