Diversidade

Marca de ternos opta por casal gay em campanha, expõe reações preconceituosas e banca sua posição

por: Redação Hypeness

Publicidade Anuncie

A Suitsupply, grife holandesa especializada na confecção de ternos que já foi criticada na internet por causa de propagandas machistas, decidiu inovar na campanha para o verão de 2018 (no hemisfério norte) e usar seus espaços para dar visibilidade à causa gay.

Surpreendentemente ou não, a campanha causou impactos imediatos. De acordo com a empresa, em questão de horas mais de 10 mil pessoas deixaram de seguir o perfil da Suitsupply no Instagram, reação medida também pela quantidade de comentários raivosos anunciando que a grife teria perdido clientes – alguns até afirmaram ter jogado seus ternos no lixo.

Após a reação inicial, a marca bancou sua posição em relação à campanha e viu o número de seguidores voltar a aumentar – de cerca de 360 mil antes do lançamento, passando por cerca de 350 mil e, hoje, 01/03, 388 mil.

Fokke De Jong, fundador e CEO da Suitsupply, comentou ao jornal holandês NCR que “a atração entre pessoas é uma parte importante da propaganda de moda” e que “uma campanha mostrando a atração entre homens já deveria ter sido feita há tempos e é particularmente relevante para a marca”.

Apesar de se manter firme em relação à campanha, exibida nas redes sociais e em quase 100 lojas de 22 países, De Jong revelou que as fotos não serão exibidas em países como a Rússia e os Emirados Árabes Unidos, que têm histórico negativo em relação aos direitos dos homossexuais, por causa do risco de as lojas serem fechadas.

Posted by Suitsupply on Thursday, February 22, 2018

Publicidade Anuncie

Fotos via Suitsupply


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Quem é Matthew Henson, o explorador negro do Polo Norte que história tentou apagar