Inspiração

Professores da Unicamp criam comunidade para aproveitar a velhice juntos

por: Kauê Vieira

Uma história de amor e fraternidade está emocionando muita gente por aí. Trata-se de de um grupo de professores da Unicamp (Universidade de Campinas), que com o objetivo de envelhecer ao lado dos amigos, criaram um projeto de moradia.

O Vila ConVier é uma comunidade que oferece estrutura para que os cerca de 200 professores membros da Adunicamp, associação com educadores sindicalizados aposentados, possam desfrutar da velhice juntos.

“Diferentemente de um condomínio, onde se escolhe a casa, o preço e as facilidades, e depois se conhece o vizinho, é o oposto. Escolhemos os vizinhos, alinhados com nossos valores”, explica Sérgio Mühlen, de 61 anos, ao Ciberia.

A iniciativa dá qualidade de vida para idosos e aposentados

Para se tornar realidade, a iniciativa contou com a participação de 70 pessoas, que por meio de um pagamento mensal de R$ 3,5 mil vão arcar com os custos totais de R$ 400 mil por unidade.

Segundo os professores, a chave para a que tudo dê certo é o convívio social, estimulado com reuniões entre os membros, que diferente de um condomínio comum, escolhem “vizinhos alinhados com nossos valores.”

Sonho antigo, o projeto deu seus primeiros passos em 2014, a partir do trabalho de cohousings, moradias criadas e administradas pelos próprios idosos. Agora, a ideia é expandir este método para uma área de 20 mil metros quadrados na periferia de Campinas, interior de São Paulo.

Importante para o zelo da saúde dos idosos, o ConViver da Associação de Docentes da Unicamp está chamando a atenção de especialistas, que procuram o grupo para colher informações sobre moradia para idosos.

“Nossos estudos e a metodologia de preparação e formação do grupo que deu origem à Vila ConViver estão disponíveis para novos grupos da própria Unicamp, ou de fora, que queiram criar novas comunidades cohousings, tanto para a terceira idade como para multigerações, incluídas as com públicos específicos ou com necessidades especiais”, conta o professor Bento.

Publicidade

Foto: Pixabay


Kauê Vieira
Nascido na periferia da zona sul de São Paulo, Kauê Vieira é jornalista desde que se conhece por gente. Apaixonado pela profissão, acumula 10 anos de carreira, com destaque para passagens pela área de cultura. Foi coordenador de comunicação do Projeto Afreaka, idealizou duas edições de um festival promovendo encontros entre Brasil e África contemporânea, além de ter participado da produção de um livro paradidático sobre o ensino de África nas Escolas. Acumula ainda duas passagens pelo Portal Terra. Por fim, ao lado de suas funções no Hypeness, ministra um curso sobre mídia e representatividade e outras coisinhas mais.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
César Tralli chora ao encontrar professora de infância 35 anos depois