Roteiro Hypeness

Conheça os 12 finalistas da competição que vai escolher a melhor caipiroska do Brasil

por: Vitor Paiva

Eleger a melhor caipiroska do Brasil não é uma tarefa simples. Esse encontro entre a vodka russa e a caipirinha brasileira adaptou e refinou o sabor de uma bebida tradicional e tipicamente nacional, criando um sucesso hoje consumido em todo o país. É por isso que a competição criado pela marca Smirnoff para descobrir a melhor caipiroska do Brasil envolveu milhares de bares desde o final do ano passado. Passados meses desde que os bares inscreveram suas receitas, agora a competição chega à sua terceira etapa: os 4 mil inscritos iniciais foram reduzidos a 200, que agora se transformaram em 12 finalistas.

Se a receita em princípio somente substituiu a cachaça pela vodka, acrescentando frutas, gelo e açúcar – tudo devidamente batido e misturado ao gosto -, para ser coroada como a melhor caipiroska do Brasil naturalmente é preciso um algo mais, seja nos ingredientes, no preparo, na confecção, seja no visual ou mesmo no sucesso do drinque. E nada mais justo que a Smirnoff realizar tal competição, considerando que se trata da marca de vodka número 1 do mundo*.

Dentre receitas originais, utilizando frutas ou adições especiais à tradição, ou simplesmente versões supostamente simples da bebida porém executadas à perfeição, o fato é que a lista dos 12 finalistas já é um impressionante feito – e fazer parte dessa seleção confirma a excelência das receitas. As bebidas serão avaliadas por sua originalidade, a partir da criação da receita em si, a experiência proporcionada ao consumidor, o sabor, focado na harmonia entre os ingredientes, e a apresentação, levando em conta a aparência geral do drinque, como os itens presentes no copo, as frutas, mexedores, canudos e tudo mais.

Em uma competição difícil e complexa como esta, no entanto, se o espírito esportivo prevalece e a honra de participar e ser selecionado já é um prêmio, todos ainda assim querem a resposta da grande pergunta: qual é, afinal, a melhor caipiroska? Essa resposta só saberemos de fato no dia 15 de abril, quando a competição chegará ao fim.

É por isso que é preciso ir direto ao que importa – e revelar os 12 bares selecionados para a fase final, suas considerações, receitas e, claro, suas caipiroskas. Lembrando sempre: aprecie com Moderação, e não compartilhe com menores de 18 anos. O teor alcoólico de cada receita concorrente é de 15,8 G.

1. Botequim Carioca (Santo André – SP)

Segundo Melchoir Neto, do Botequim Carioca, estar entre os 12 finalistas a partir de 4 mil bares já é uma vitória. Para vencer a competição, no entanto, a receita selecionada foi uma mistura um tanto brasileira: uma caipiroska de limão com banana e canela. “A combinação das frutas banana e limão é inusitada, além disso representa toda brasilidade da caipiroska, e por isso achamos que merecemos o prêmio de melhor do Brasil”, disse Melchior.

2. Bar do Haules (Jundiaí – SP)

Aberto há somente um ano, o Bar do Haules já se encontra entre os 12 finalistas com sua caipiroska. “Sinal de que o que estamos fazendo está no caminho certo”, afirmou Otávio Shiroma, um dos sócios. A receita inscrita na competição é uma das mais inusitadas: uma caipiroska de rúcula, misturando a folha com limão. “Acho que o que é o mais legal é o equilíbrio dos sabores, que é uma loucura. Quando você dá o primeiro gole, vem um cítrico, depois um pouquinho de doce e no fim um amargo”, afirmou.  

3. Bar do Maurélio (Barra Bonita – SP)

A mais consumida receita de caipiroska do Bar do Maurélio segue a receita tradicional, de limão com açúcar e gelo, mas com uma pitada especial de hortelã. Sua simplicidade, no entanto, se compensa pela perfeição do resultado. O segredo, segundo o próprio Maurélio, está no preparo e na experiência de consumi-la. “Nossa caipiroska é única pela distribuição dos produtos, de forma que ela mantenha seu sabor leve e marcante, durante toda a caipirinha, até o final”, afirma.

4. Deck Bar (Londrina – PR)

Para conquistar o título, o Deck Bar trouxe a Deckroska, uma receita feita a partir do café. Utilizando Smirnoff infusionada com café como base, a receita ainda leva guarapa, limão rosa e xarope de açúcar. “A curiosidade das pessoas acabam nos favorecendo. Todos perguntam ‘Caipiroska de café?’. Sim, uma bebida que traz para o cliente uma experiência especial desde o momento que chega a sua mesa, com um cheiro atraente e um gosto bem refrescante” afirma Leonardo Leão, um dos sócios do bar.

5. MeiMe Pizzaria (São Paulo – SP)

George, um dos nomes por trás da Cítrica, receita da pizzaria MeiMe, garante que participar de uma competição desse porte sempre foi seu sonho. Para conquistar, portanto, a competição de seus sonhos, eles misturaram tangerina, maracujá e manjericão com Smirnoff e gelo. “A Cítrica é especial porque é feita com muito prazer e sempre com produtos frescos e selecionados”, ele afirma, confirmando que o segredo de sua receita está mesmo nos ingredientes.

6. Baco Restaurante (Maringá – PR)

O propósito do restaurante Baco, em Maringá, é, segundo Camila Pavan, o de “proporcionar uma verdadeira experiência gastronômica”. Para incluir sua caipiroska nessa proposta, o Baco traz um forte toque de brasilidade, transformando a receita com um ingrediente inesperado: a rapadura, misturada com limão siciliano, limão Tahiti e Smirnoff. “A receita é genuinamente brasileira”, confirma Camila, que convidou os clientes a experimentarem e votarem. “Eles gostaram tanto, que a prova está na nossa conquista para a fase final”.

7. Senhor Boteco (Jaboticabal – SP)

Segundo Bruno Marchiori, do Senhor Boteco, a torcida dos clientes e amigos do bar vem incentivando muito a participação na competição. Para tal eles trouxeram uma caipiroska que representa o Brasil, batizada de Tropicália. Tal representação pode ser sentida, segundo Bruno, no sabor, misturando abacaxi, gengibre, manjericão e, por fim, um ingrediente realmente inusitado: um picolé de tangerina. “Você tem na união de sabores, que se acentuam com o derretimento do sorvete, uma ótima experiência, além de ajudar a refrescar nos dias mais quentes”, diz Bruno.

8. Tribus Bar (Balneário Camboriú – SC)

O Tribus Bar traz seus 25 anos de experiência para a competição com imenso orgulho. A caipiroska Tropical Especial conjuga, segundo Robson Fidélis, do Tribus, uma combinação apaixonante, com morango, kiwi e abacaxi, como uma forma de “expressar o clima tropical no paladar dos apreciadores”. Robson sublinha pitadas especiais de afeto como ingrediente secreto. “É algo que vai além do profissionalismo e a criatividade em sua produção, que é o amor e dedicação para conquistar e fidelizar nossos clientes”.

9. Boteco Adoniran (São Bernardo do Campo – SP)

No Boteco Adoniran, a caipiroska é o carro chefe. Contemplando a cultura brasileira e, em especial, a cultura de boteco de São Paulo, a receita para a competição parte da tradição para a criatividade. Segundo Fábio Gomes, a surpresa da caipiroska de limão do Adoniran são os ingredientes e, consequentemente, o sabor: limão siciliano, com gelo de garapa e melado de cana para adocicar. “São itens que todo brasileiro conhece e que estão profundamente ligados à nossa maravilhosa cultura”, afirma Fábio.

10. Original Co. (Santos – SP)

O nome da caipiroska do Original Co. Burger já sugere a originalidade presente no nome do estabelecimento: Pink Lemonade. E Daniel Maggi confirma tal sugestão quando apresenta do que a receita é composta: limão siciliano com cereja marasquino e Smirnoff. “Esse mix trouxe sabor inigualável e suavidade ao drink”, afirma Daniel, lembrando que a originalidade não fica só no nome. “Para confirmar, só experimentando”.

11. Estrela da Matriz (São Paulo – SP)

A receita do Estrela da Matriz traz simpatia no nome e nenhuma timidez em seu sabor. A “Caipiroska da Aninha” mistura Smirnoff, limão siciliano e caju, também oferece originalidade e brasilidade à competição. O forte sabor do caju se harmoniza com a elegância cítrica do limão siciliano, em uma receita especial para disputar a competição e tentar ser eleita a melhor do Brasil.

12. Esquina do Chopp (Santos – SP)

O Esquina do Chopp é outro bar de Santos que vai à final da disputa, com uma receita colorida e forte em seu sabor. Relendo, atualizando e misturando receitas tradicionais, na caipiroska Esquina do Chopp os ingredientes são abacaxi em pedaços, uma fatia de gengibre, tangerina em pedaços, maracujá Physalis e gelo. No bar ela é conhecida como caipiroska de frutas amarelas, e é essa a receita marcante que o Esquina do Chopp trouxe para a competição.

O resultado final da competição será anunciado na Festa “A Melhor Caipiroska do Brasil – Smirnoff”, no dia 15 de abril, na Vila Butantan, das 13hs às 19hs, em São Paulo. Lá será possível provar cada uma das 12 receitas descritas aqui – e quem sabe adivinhar quem será o grande campeão. Será que sua caipiroska preferida vai ser também a campeã? Só mesmo indo e provando para saber. A entrada do evento será gratuita. E sempre lembrando: Aprecie com moderação. Não compartilhe com menores de 18 anos.

* Considerando o levantamento realizado por Impact Databank para o Top 100 Premium Spirits Brands Worldwide, no período de 2013 a 2016.

Publicidade

© fotos: divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Mulher cria sistema de entrega com bicicletas destinado a mulheres e transexuais