Debate

‘Queermuseu’ bate recorde e crowdfunding passa de R$ 1 milhão

por: Kauê Vieira

Depois de um processo que mobilizou artistas como Caetano Veloso, a exposição Queermuseu vai desembarcar no Rio de Janeiro. A confirmação chega em grande estilo, já que o financiamento colaborativo para viabilizar a exibição das obras na capital fluminense se tornou o maior do Brasil.

Com uma arrecadação total superior a R$ 1 milhão, construída por meio da participação de 1.724 colaboradores, Queermuseu vai ser montada na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. A meta inicial era de R$ 690 mil, que foi garantida antes do prazo, principalmente pelo show feito por Caetano Veloso no próprio Parque Lage e as vendas de obras doadas por 70 artistas.

‘Queermuseu’ vai sim chegar ao Rio

Os valores adicionais, pouco mais de 300 mil reais, serão destinados para a reforma do espaço Cavalariças, onde vai se instalar a coletiva, que com uma curadoria pedagógica vai promover visitas guiadas com membros da comunidade LGBTT. 

Polêmica e censura

Composta por 270 obras, de autoria de 85 artistas como Lygia Clark e Cândido Portinari, a exposição foi alvo de uma série de acusações, especialmente de membros do Movimento Brasil Livre (MBL), acusando quatro obras que se utilizaram de elementos católicos para supostamente incentivar a pedofilia, zoofilia e de blasfêmia.

A posição de setores mais conservadores deu o que falar, resultando inclusive no cancelamento da exibição, em cartaz no Santander Cultural de Porto Alegre. Além disso, o prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella (PRB-RJ) censurou sua montagem no Museu de Arte do Rio (MAR).

Caetano Veloso apoiou o crowdfunding para exibir ‘Queermuseu’ no Rio

O curador de Queermuseu, Gaudêncio Fidélis e representantes de entidades de defesa dos direitos LGBTT manifestaram surpresa com o fechamento da exposição na capital gaúcha e as acusações recebidas. Agora é aguardar a chegada das obras ao Rio de Janeiro para sentir o tom das reações.

Publicidade

Fotos: foto 1: Reprodução/Fredy Vieira/Santander Cultural/foto 2: Divulgação


Kauê Vieira
Nascido na periferia da zona sul de São Paulo, Kauê Vieira é jornalista desde que se conhece por gente. Apaixonado pela profissão, acumula 10 anos de carreira, com destaque para passagens pela área de cultura. Foi coordenador de comunicação do Projeto Afreaka, idealizou duas edições de um festival promovendo encontros entre Brasil e África contemporânea, além de ter participado da produção de um livro paradidático sobre o ensino de África nas Escolas. Acumula ainda duas passagens pelo Portal Terra. Por fim, ao lado de suas funções no Hypeness, ministra um curso sobre mídia e representatividade e outras coisinhas mais.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Mãe entregadora que precisou trabalhar com 2 filhas no colo diz que marido só joga videogame