Debate

Como ajudar os desabrigados pelo prédio que desabou no Centro de SP

por: Redação Hypeness

Passado o desabamento do edifício que servia de moradia para famílias sem-teto no Largo do Paissandu, centro de São Paulo, o próximo passo é auxiliar os sobreviventes.

São muitos os interessados em contribuir com o mínimo possível para atenuar o sofrimento destas pessoas. Agora, para que a ajuda seja efetiva é preciso procurar instituições que estão diretamente envolvidas com o assunto.

Caso da Cruz Vermelha, que já recebeu 5 toneladas em doações de itens básicos, como roupas, sapatos, água, alimentos não perecíveis e produtos de higiene pessoal. De acordo com a instituição, até o momento a quantidade é suficiente para atender as mais de 140 famílias desabrigadas.

A Cruz Vermelha já recebeu 5 toneladas de mantimentos doados

Se você quiser fazer parte da corrente de fraternidade, basta se dirigir até a sede da Cruz Vermelha na Avenida Moreira Guimarães, 699, próximo ao Aeroporto de Congonhas.

Quem também está desempenhando papel importante após o incêndio no edifício Wilton Paes de Almeida, antiga sede da Polícia Federal, é a Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos. Localizada no Largo Paissandu, há poucos metros do local do desabamento, o espaço também recebe doações.

Diferente da Cruz Vermelha, na igreja os itens são separados por funcionários da Defesa Civil. Para que o controle seja efetivo, membros de movimentos sociais estão identificando os moradores. Você pode deixar roupas, comida, água, produtos de higiene pessoal e outras coisas até a Rua Benjamin Constant, 170, na Sé. 

Por fim, mais ou menos 500 voluntários da Igreja Universal do Reino de Deus estão recebendo mantimentos na sede da Avenida Celso Garcia, 499, Brás.

 

Publicidade

Foto: Fotos Públicas


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Relato denuncia política racista do Facebook contra funcionários negros