Debate

Como uma caixa explica as relações raciais nos Estados Unidos?

por: Redação Hypeness

Formado em direito pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, Sean Carter fez um relato emocionante e ao mesmo tempo angustiante. Infelizmente nenhuma novidade caso você seja negro.

Em um texto enxuto, o norte-americano relata os efeitos nefastos do racismo, que se manifestam em coisas causais, como a relação entre vizinhos. Para isso Carter usa o próprio exemplo.

“Este pacote está na frente da minha casa há dias. Por quê? Porque nós somos negros”. A fala escrita pelo advogado representa o estigma carregado pela cor de sua pele, impedindo que ele tenha de fato o direito de ir e vir garantido. Ou seja, o racismo faz com que negros como Carter não se sintam seguros de se relacionar com os vizinhos.

“Eu não posso confiar que meus vizinhos brancos não vão me ver como um homicida fora de controle”

Apesar dos avanços colhidos nos últimos tempos, as relações raciais nos Estados Unidos passam por momentos de tensão. De acordo com o jornal Washington Post em 2017 o número de negros mortos por disparos policiais foi 22% maior do que o de brancos, demonstrando uma desproporcionalidade, já que os afro-americanos respondem por 6% da população.

Talvez você esteja enxergando um certo exagero no relato de Sean Carter, mas não se engane. Responsável por 4% da população mundial, os Estados Unidos abriga metade do armamento da Terra. Somando isso ao preconceito racial que paira na sociedade se chega em uma mistura explosiva.

“Nós somos negros e é extremamente inseguro mandar nossas crianças até a casa de uma outra família que não conhecemos, ainda mais em um bairro branco. Existe uma chance real de um dos meus vizinhos enxergar meu garoto como uma ameaça e chamar a polícia ou até apontar uma arma contra ele”, justifica o advogado Sean Carter.

Brennan Walker quase foi morto ao pedir uma informação, pois Jeffery Zeigler achou que ele ia invadir sua casa

Algo semelhante aconteceu com um jovem negro de 14 anos, Brennan Walker, que ao perder o ônibus tentou ir a pé para a escola. Perdido, resolveu perguntar o caminho para um homem branco da vizinhança, mas Jeffery Zeigler achou que o rapaz queria invadir sua casa e desferiu tiros contra o garoto.

“É por isso que este maldito pacote vai ficar na minha porta até a empresa recolhê-lo. Eu não posso confiar que meus vizinhos brancos não vão me ver, um professor formado em Harvard, como um homicida fora de controle. É isso que significa ser negro na ‘América pós-racial'”, encerra.  

Publicidade

Fotos: foto 1: Reprodução/Facebook/foto 2: Reprodução/WJBK


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Ativista pela legalização da cannabis mostra como Uruguai quebrou tabus da planta