Debate

O que a solidariedade dos alunos com um professor diz sobre a educação brasileira?

por: Redação Hypeness

Professor da Escola Estadual Balbina Viana Arrais, em Brejo Santo, cidade do Sul cearense, Bruno Rafael paiva foi surpreendido pela manifestação de solidariedade de seus alunos do Ensino Médio.

Sensibilizada com a frágil situação financeira do docente, que entrando no segundo mês sem receber salário estava vivendo de favor, a turma resolveu fazer uma surpresa e levantou R$ 400 para auxiliar o educador.

Os fundos vieram por meio de uma rifa e no momento da entrega os estudantes aproveitaram para pedir desculpas por serem tão bagunceiros. O vídeo viralizou nas redes sociais e mais de 6 mil pessoas compartilharam o conteúdo.

Bruno está há dois meses sem receber salário

“Esse mês quando vi que não ia receber depois de um mês e meio de trabalho, vi tudo ficar preto, afundei na depressão preocupado e perdido sem saber como ia pagar as contas e ajudar minha família que está de mudança e com muitas barreiras da vida”, desabafou Bruno em seu perfil no Facebook.

Apesar de louvável a atitude da turma da Escola Estadual Balbina Viana Arrais é um retrato trágico da desvalorização da educação no Brasil. Segundo levantou o Análise Comparativa Salarial dos Professores da Rede Estadual no Brasil, o docente cearense em início de carreira recebe a sexta pior remuneração do país.

Para efeito comparativo, um professor nos estágios iniciais de carreira no Distrito Federal ganha 143,12% a mais do que o mesmo profissional no Ceará. Enquanto o educador de Brasília recebe, por 40 horas semanais, R$ 3.227,87, o cearense embolsa R$ 1.327,66.

O governo federal pretende reduzir em 32% os investimentos em educação

A crise da educação é reflexo do corte de gastos realizado pelo governo federal, que pretende reduzir em 32% os investimentos no Ministério da Educação (MEC). Para se ter ideia dos impactos, em 2017 a administração de Michel Temer destinou R$ 6,6 bilhões, ao passo que para este ano a Lei Orçamentária Anual (LOA) reserva apenas R$ 4,52 bi para o setor.

“Isso significa dizer que, com a redução desses valores, você acaba vislumbrando um horizonte em que você não consegue atender as metas do Plano Nacional de Educação. Não consegue, pelo menos, imprimir um ritmo de melhoria do acesso aos diversos níveis de ensino”, explica ao Brasil de Fato o economista Bruno Moretti.

Além do salário, a redução de verba impacta diretamente na construção de creches, compra de equipamentos, ampliação e criação de instituições educacionais. A Lei Orçamentária foi aprovada pelo Congresso Nacional e aguarda sanção presidencial.

Publicidade

Fotos: foto 1: Reprodução/foto 2: Wikimedia Commons


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Ele bebeu 12 xícaras de café em 5 minutos e garante que passou a sentir o cheiro das cores