Inovação

Projeto cria palavras cruzadas para ajudar no tratamento de quem tem Alzheimer

por: Redação Hypeness

O Alzheimer é uma doença degenerativa comum após os 65 anos de idade e caracteriza-se pela perda progressiva de células neurais. Seu principal sintoma é a perda de memória, mas também causa problemas de organização de pensamento e comportamento.

Mesmo que ainda não tenha sido descoberta cura ou reversão para esta doença, existem diversos exercícios físicos e mentais – além de novos medicamentos – que ajudam a diminuir sua evolução.

Uma forma de melhorar a vida do paciente é evitar o isolamento social e familiar provocado pelo Alzheimer e foi justamente pensando nisso que o passatempo ‘Memórias Cruzadas’ foi criado.

De maneira lúdica, uma página especial cria um jogo personalizado com as memórias e histórias de quem tem Alzheimer permitindo exercitar a mente e manter vínculos familiares e afetivos.

Para criar o jogo é preciso responder algumas questões para definir oo perfil do familiar que responderá as Memórias Cruzadas para que o sistema sugira as primeiras perguntas.

Depois, uma série de perguntas com base no perfil surgirão. é possível escrever as respostas personalizadas ou mesmo trocar perguntas que não são do seu interesse por outras. Então o sistema cruza as respostas e basta imprimir.

Estima-se que a doença de Alzheimer, conhecida principalmente pela perda de memória e outras funções cognitivas, já afeta mais de 1,2 milhão de pessoas no Brasil, de um total de cerca de 35 milhões no mundo. E tudo indica que esse número vai crescer, podendo dobrar até 2030.

Publicidade

Imagens: Reprodução


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Quando as crianças dominaram o mundo: uma sociedade paralela que parece saída da ficção