Inovação

Tecnologia e fofura: viaje pelo Japão no trem-bala da Hello Kitty

por: Redação Hypeness

Se vista com a devida objetividade, a personagem Hello Kitty é um tanto exótica: uma gata branca, sem boca e com um laço rosa na cabeça. Criada como uma simples ilustração por parte do designer Yuko Yamaguchi para representar o que no Japão é conhecido como kawaii, ou a “cultura da fofura”, em 44 anos desde sua criação, em 1974, A Hello Kitty se tornou um fenômeno de bilhões de dólares, reconhecido e adorado em todo mundo. No Japão, porém, seu sucesso vai além, se transformando em uma verdadeira obsessão – e o novo produto é da dimensão desse culto: um trem temático, totalmente decorado com o tema da gatinha cujo verdadeiro nome é Kitty White.

O trem, intitulado Hello Kitty Shinkansen, transportará passageiros entre as cidades de Osaka e Fukuoka, e trará Hello Kitty em todos os formatos possíveis: nas paredes rosas, no chão, nos braços das cadeiras, e no descanso de cabeça e muito mais. Até mesmo a área de convivência dentro do trem terá um bar, lojas e uma área para fotos, todas devidamente decoradas com a personagem.

A parte exterior do trem, como não poderia deixar de ser, não fica de fora: ilustrações e até um laço rosa gigante decoram os vagões.

A primeira viagem do trem da Hello Kitty acontecerá em 30 de junho de 2018, e será operado pela empresa de transportes West Japan Railway Company, parando em outras cidades além de Osaka e Fukuoka no caminho.

Para os fãs inveterados da personagem é um paraíso sobre trilhos. Os efeitos da superdosagem de fofura somada a velocidade do trem-bala, no entanto, ainda estão em teste.

Publicidade

© fotos: divulgação


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Fim de semana de 3 dias testado pela Microsoft Japão aumenta produtividade em 40%