Futuro

Desescolarização: os bastidores da reportagem que inaugura formato especial de conteúdo no Hypeness

por: Bruna Rasmussen

Publicidade Anuncie

Uma professora usa poesia para ensinar algoritmos. Um engenheiro dá aulas de Física gratuitamente em uma praça do Rio de Janeiro. Um ex-cortador de cana se forma médico. Nos Estados Unidos, um senhor de 82 anos estuda Economia na mesma universidade que a neta. Um pouquinho além-mar, na Índia, uma escola decidiu dar mais ênfase à felicidade que à Matemática. Voltando para o Brasil, cerca de 5 mil famílias ensinam seus filhos fora da escola – por opção.

Ideias vão e vêm através das décadas, tornam-se verdades, são substituídas, voltam à moda, tomam outras formas e abrem novos caminhos, sempre com um objetivo constante: melhorar algo. Nós do Hypeness somos apaixonados por buscar e dar luz às ideias que ajudam a girar a catraca que faz do mundo um lugar um pouquinho melhor – mais justo, sustentável, diverso e, sobretudo, feliz. Uma das áreas que mais acompanhamos é a da Educação. Afinal, acreditamos que aprender é um processo que caminha paralelo com a vida e que é imprescindível para que possamos navegar pela existência de forma mais esclarecida e plena.

Sabemos que no tema Educação, as escolas dos países nórdicos frequentemente são referência. Com lugar cativo nas manchetes e reportagens, elas surpreendem ao unir tecnologia e humanidade, garantindo aos alunos excelentes resultados em testes gerais de aptidão quando comparados a estudantes de outras nações. Mas ensejar esforços para aplicar a receita escandinava aos demais modelos educacionais do mundo seria a única maneira de melhorar esse algo chamado Educação? E se houvesse outras maneiras?

Desescolarização, ou Unschooling

Intrigados com as mais de 5 mil famílias brasileiras que optam por educar seus filhos longe do ambiente escolar, fomos entender mais sobre o ensino domiciliar e acabamos conhecendo uma proposta de aprendizado que vai além dos livros didáticos, salas de aula e de todo o universo que naturalmente trazemos à mente quando pensamos em Educação. O Unschooling, ou Desescolarização, é um processo de aprendizagem seguido por milhares de famílias no Brasil e no mundo e que consiste em retomar o modo com que boa parte da humanidade, através dos séculos, aprendeu: com a vida.

Sem procedimentos formais ou instituições, há crianças vivendo sua infância com aprendizados diferentes daqueles que garante a educação formal. A Matemática ganha espaço nas gôndolas do supermercado e nas matérias do caderno de Economia, o Português é vivido na literatura e a Biologia é aprendida em um grande e complexo laboratório chamado mundo real.

Muitas dessas crianças não têm um sino que indica a hora do recreio ou uma nota ao fim de dois meses de estudo; elas vivem e aprendem, tudo ao mesmo tempo, em um processo contínuo. Essas crianças nunca vão “acabar seus estudos” e têm o aprendizado facilitado pelos pais e familiares, que hoje, mais do que nunca, contam com a riqueza dessa grande biblioteca chamada internet – muito além dos memes, fofocas e joguinhos há uma vastidão de conhecimento a ser aprendido.

O Hypeness conheceu a história de algumas das crianças que vivem a Desescolarização, entendeu as dinâmicas familiares, as dificuldades e também as conquistas. Uma prática que vai na contra-mão da Educação Institucionalizada não raro é vista com preconceitos. Assim como tudo, a Desescolarização tem suas vantagens e seus reveses; pode ser bom para um, mas não para outro. Mas o que efetivamente implica escolher tirar seu filho da escola e permitir, em um processo familiar conjunto, que o aprendizado siga rumos informais? Para entender o assunto em toda a sua complexidade, conversamos também com pessoas que, dentro do ensino institucionalizado formal, são Doutores em Educação, Filósofos e Psicólogos e discutimos junto a eles os mais diversos tópicos que permeiam o assunto.

Conteúdo em novo formato

A riqueza do universo com que nos deparamos e a forma com que, a partir dessa ideia, crianças têm tido a chance de viver e de se desenvolver de formas diferentes, pediu mais do que uma simples reportagem. Sabíamos que alguns parágrafos e fotos não seriam suficientes. Com o tema Desescolarização, o Hypeness lança um novo modelo de matéria especial, o Branded Room, em que o assunto é trazido de forma aprofundada e, principalmente, visual.

Para contar a história de uma dessas crianças que trocaram a sala de aula pelo mundo, fomos até Ubatuba, no litoral paulista, onde conhecemos a Déborah e o Cauê, cuja história de vida contamos em Contra a Maré, um mini documentário, produzido em parceria com a produtora La Casa de La Madre. Com o mini documentário, ilustrações e uma organização de texto diferenciada, inauguramos não só um formato de apresentação de conteúdo, mas um convite: que nossos leitores possam conhecer ideias sem buscar, em um primeiro momento, classificá-las entre certo e errado, mas pensar além de tudo aquilo que hoje entendemos como mundo.

Clique na imagem abaixo para acessar o Branded Room sobre Desescolarização:

Publicidade Anuncie

O Branded Room sobre Desescolarização não teria sido possível sem a disposição da Déborah e do Cauê para nos convidar a conhecer suas vidas; obrigado! Obrigado ao time do La Casa de La Madre, que se encantou pelo tema e topou contar a história dessa família em um documentário incrível. Agradecemos também ao Álvaro Dantas por compartilhar um bocado da vida de sua família e ideias sobre a Desescolarização. As reflexões de Carla Ferro, Ana Thomaz, Juliana Radaelli, Luciane Muniz foram fundamentais para compreendermos melhor as temáticas que permeiam a Desescolarização; agradecemos pela disposição e paciência. Agradecemos também ao Pablo Silva, Damiris Ribeiro, Nohan Ribeiro, Enio Miki, Livia Jacome e Diogo Azevedo, do time de design e desenvolvimento da Webedia por construir junto com o Hypeness esse novo formato. Pessoalmente, agradeço à Clara Caldeira, ao Rafael Rosa, Rafu, e ao Rafael Nardini pela confiança de dar a mim a chance de estrear esse formato de conteúdo tão especial.


Bruna Rasmussen
Bruna escreve para a internet desde 2008 e tem paixão por consumir informação e descobrir coisas. Adora gatos, inovação e é curitibana – fala “duas vinas”, mas dá “bom dia” no elevador.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Cinco especialistas compartilham o que mais os assusta na inteligência artificial