Inovação

Em novo escândalo, Facebook assume ter vazado dados de usuários para empresas chinesas

08 • 06 • 2018 às 10:29 Vitor Paiva
Vitor Paiva   Redator Jornalista, escritor e músico, Vitor Paiva é Doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade.

Definitivamente o momento atual não é bom para a maior rede social do mundo. Aquilo que parecia ao céticos teoria da conspiração e aos conspiratórios uma obviedade cada vez mais parece de fato real, e os escândalos vem revelando que o Facebook de fato vinha desde sempre utilizando informações de seus usuários supostamente confidenciais para imensos lucros e benefícios próprios. A mais nova confirmação veio na última terça-feira, quando o Facebook admitiu compartilhar dados com empresas parceiras na China.

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook

Dentre as quatro empresas confirmadas está a Huawei, uma fabricante de smartphones que encontra-se sob vigília da agência de segurança dos EUA. Já passam, portanto, de 60 empresas pelo mundo (incluindo gigantes como Amazon, Apple, Microsoft e Samsung) que também recebem informações do Facebook. A confirmação veio de um pedido do Comitê de Inteligência dos EUA, o que, após o escândalo da Cambridge Analytica (quando informações da rede foram usadas sem a autorização para campanhas de Donald Trump e do Brexit), vem levantando sérias suspeitas a respeito da segurança no Facebook.

Sede da Huawei, na China

Uma matéria no New York Times afirma que as empresas chinesas possuem acesso, assim como no escândalo da Cambridge Analytica, a dados pessoais de usuários, assim como de amigos e amigos de amigos, como status de relacionamento, posições políticas e religiosas. A suspeita se torna ainda mais grave diante do fato da Huawei estar sendo investigada como possível porta de entrada para espionagem nos EUA e até mesmo como ameaça à infraestrutura do país. O governo chinês e a empresa, no entanto, negam tal acusação – da mesma forma o Facebook nega que as empresas tenham tido acesso a tais dados.

“O Facebook, juntamente com muitas outras empresas de tecnologia dos EUA, trabalhou com eles e outros fabricantes chineses para integrar seus serviços a esses telefones”, disse, em um comunicado, Francisco Varela, vice-presidente de parcerias móveis do Facebook. “As integrações do Facebook com a Huawei, Lenovo, OPPO e TCL foram controladas desde o início — e aprovamos as experiências com o Facebook que essas empresas construíram”, afirmou.

Publicidade

Canais Especiais Hypeness