Futuro

Holanda quer pagar para as pessoas irem ao trabalho pedalando

por: Vitor Paiva

Publicidade Anuncie

Inimigo não só da mobilidade urbana como também do planeta e do meio-ambiente, o trânsito intenso é hoje um dos principais problemas para o bem-estar dos cidadãos e para o próprio futuro da humanidade. Qualquer governo que se preze hoje deveria, portanto, não medir esforços para diminuir a quantidade de carros nas ruas – e, honrando sua tradição vanguardista, é isso que o governo holandês pretende fazer, através de um sistema de compensação financeira para quem trocar o carro pela bicicleta para ir ao trabalho.

O projeto ainda precisa ser aprovado mas, nas palavras da própria ministra da infraestrutura Stientje Van Veldhoven, a ideia é “sair dos carros e subir nas bikes”. O programa prevê que cada trabalhador adulto receba 19 centavos por quilômetro percorrido em suas comunidades. Além disso, através de recompensas fiscais, o projeto oferecerá subsídios às empresas e funcionários para a compra mais barata de bicicletas.

Publicidade

O objetivo é tirar 200 mil pessoas de seus carros e coloca-las sobre duas rodas para percorrerem 3 bilhões de quilômetros pedalando.

A Holanda já é uma referência no ciclismo como meio de transporte, com 22.5 milhões de bicicletas estimadas no país – mais do que a própria população, de 17.1 milhões de pessoas.

Amsterdam é uma das cidades mais preparadas e receptivas aos ciclistas do mundo e o programa, portanto, pretende ampliar consideravelmente esses números, trazendo não só a compensação financeira como estímulo, mas também os benefícios ambientais e para a saúde – tanto de quem aderir, quanto das próprias cidades.

Publicidade Anuncie

© fotos: divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.


X
Próxima notícia Hypeness:
As implicações da prisão de Julian Assange para a transparência global de dados