Debate

Brasil ganha prêmio internacional por aplicativo detector de corruptos

por: Redação Hypeness

Publicidade Anuncie

Segundo o Fórum Econômico Mundial o Brasil é o quarto país mais corrupto do mundo. Na verdade esta confirmação não passa de uma mera formalidade diante dos sucessivos casos divulgados pelos veículos de comunicação.

Em contrapartida, o país latino-americano acaba de ser agraciado com um prêmio internacional em função da criação de um aplicativo que, adivinhem, detecta corruptos. O Detector de Corrupção é uma iniciativa criada pela Grey para o Reclame Aqui e levou este prêmio inédito no Cannes Lions 2018, na categoria Mobile.

A ideia foi colocada em prática ainda em 2016 e em um primeiro momento atuava apenas como uma extensão para o navegador Google Chrome. Agora na forma de aplicativo, o produto faz uso de um sistema de reconhecimento facial para pintar de roxo o rosto de políticos envolvidos em denúncias de corrupção.

As informações no aplicativo estão de acordo com os processos judiciais

Para descobrir o corrupto e suas falcatruas basta apontar o celular para uma fotografia ou para as telas de TV ou computador. Daí o aplicativo mostra os dados do político, processos e supostas improbidades administrativas que cada um deles responde na Justiça. O melhor, de graça.

O app serve como uma espécie de canalizador das informações, já disponíveis em instâncias de tribunais como o Supremo Tribunal Federal (STF), Supremo Tribunal de Justiça (STJ), Tribunais de Justiça (TJs) e Tribunais Regionais Federais (TRFs). Por isso é importante dizer que processos em segredo de justiça não são divulgados.

Você pode baixar tanto na versão Android, quanto ou IOS, é só entrar aqui

Publicidade Anuncie

Foto: Reprodução/YouTube


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Comissão inocenta juíza leiga que mandou algemar advogada negra no Rio