Debate

Netflix redesenha ‘She-Ra’ e recebe críticas por ela não ser sexy o suficiente

por: Redação Hypeness

O Netflix oficializou o lançamento de She-Ra, uma das séries mais populares na década 1980. A parceria com a Dream Works é inflada com a colaboração da desenhista Noelle Stevenson, responsável por apresentar uma versão mais moderna da heroína.

A princesa absorve aspectos da contemporaneidade, traços definidos e com características comuns aos animes, além de ter o tradicional vestido substituído por shorts.  O resultado foi recebido com alegria por muitos fãs excitados com a concretização da parceria entre o serviço de streaming e um dos estúdios mais famosos do mundo.

Porém alguns resolveram criticar o resultado, especialmente o que chamaram de ‘masculinização da personagem’. Nas redes sociais reinou um burburinho de que o Netflix estaria com medo de produzir uma mulher bonita. “A transformaram em um homem vestido de garota”, disse uma pessoa.

A nova ‘She-Ra’ está sendo criticada por parecer ‘masculinizada’

O debate provocou uma reflexão sobre uma suposta cultura de produção de personagens infantis com características corpóreas que agradem aos adultos. Aliás, na década de 1990 esta foi uma situação recorrente, quem não se lembra das meninas do desenho Sailor Moon ou da própria Bulma, em Pokémon? Mesmo com a reprovação, She-Ra deve estrear no mês de novembro.

Esta é ‘She-Ra’ da década de 1980

Publicidade

Fotos: Divulgação


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
O que as colonizações tem a ver com os atentados terroristas na França