Debate

100% dos surdos tem deficiência corrigida por tecnologia na Holanda, mas isso gera outro tipo de problema

por: Redação Hypeness

O implante coclear é um dispositivo eletrônico que permite que deficientes auditivos ouçam os sons. Normalmente, este tipo de implante é usado desde os primeiros anos de vida de crianças que nascem surdas, sendo uma escolha comum entre pais ouvintes – mas normalmente rejeitada por famílias de deficientes auditivos.

O problema é que o implante não recupera a audição de quem o utiliza. Trata-se de uma prótese, que pode ser ligada ou desligada. Mesmo quando em uso, o dispositivo não oferece a mesma experiência de audição que uma pessoa não-surda teria. Quanto mais ruído o ambiente tiver, pior será o funcionamento da tecnologia.

Na Holanda e na Dinamarca, estes aparelhos são custeados pelo estado e, graças a isso, são usados por grande parte dos deficientes auditivos. Nos Estados Unidos, cerca de 50% da população surda elegível escolhe receber os implantes – os principais planos de saúde normalmente cobrem ao menos parte dos gastos com o tratamento.

Com a diminuição dos custos da tecnologia, cada vez mais pessoas estão aderindo ao uso destes implantes cocleares. Essa adesão em massa pode acabar com toda uma cultura surda e contribui para que os deficientes auditivos chamam de ouvintismo.

Segundo o site Cultura Surda, o viés ouvintista poderia ser definido como um pensamento de que “não ouvir é estar privado de um atributo que nos faz possíveis em um mundo de sons; é estar deficiente, aquém, comumente inapto para um dia-a-dia produtivo“. Essa perspectiva vê a surdez como algo que “deveria ser curado” e ignora toda uma cultura compartilhada por pessoas não-ouvintes através de línguas dos sinais (idioma nativo de pessoas que nascem surdas).

A matéria “The Silence of the Deaf” (“O Silêncio dos Surdos”), publicada pela revista Matter, explica que os implantes cocleares foram aprovados nos Estados Unidos em 1984 e, a princípio, eram usados apenas por adultos. Com o tempo, os dispositivos passaram a ser implantados em crianças antes da idade em que elas normalmente começariam a falar para que elas pudessem tentar aprender a ouvir e falar da mesma forma que não-surdos.

Essa mudança, no entanto, gera um apagamento de toda uma cultura criada por e para surdos. Um documentário publicado no youtube pela Vice mostra que algumas escolas para surdos tiveram uma queda de 50% no número de alunos após a popularização dos implantes, ao mesmo tempo que diversas escolas do tipo se viram obrigadas a fechar as portas.

No Brasil, Libras é o idioma de cerca de 10 milhões de pessoas, utilizado para diversas manifestações culturais, que vão do teatro à música – e incluem até mesmo canais de Youtube criados por surdos.

Publicidade

Créditos das fotos sob as imagens


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Com 200 anos, árvore mais antiga de SP é danificada por obra