Inspiração

20 hábitos que você deveria abandonar antes de fazer 30 anos

por: Redação Hypeness

Publicidade Anuncie

Ainda que idades e aniversários e não passem de convenções, certas idades redondas servem como excelentes oportunidades para pensarmos sobre nosso passado e, principalmente, sobre o que queremos mudar ou manter em nossos futuros. E fazer 30 anos definitivamente é um desses momentos propícios para pensarmos em hábitos ou manias que desejamos deixar pra lá, a fim de nos reinventarmos de melhor maneira para o resto de nossas vidas.

Sejam manias simples e cotidianas, sejam hábitos significativos e profundos, o fato é que sempre carregamos e repetimos comportamentos que podem ser abandonados ou ao menos melhorados – e aos 30 anos certas desculpas começam a perder o sentido, abrindo espaço para a certeza de que a hora é mesmo essa para nos transformarmos. Assim, inspirados em matéria original do site Business Insider, separamos 20 hábitos todo mundo deveria pensar em abandonar antes dos 30 – é pra já.

Gastar dinheiro com a “moda rápida”

Combater o desperdício é palavra de ordem e, portanto, comprar roupas que se acabam com pouco uso é algo que devemos evitar. Dessa forma, parar de comprar em grandes lojas que vendem roupas de baixa qualidade para comprar roupas melhores, mesmo que na hora possam custar um pouco mais, é uma maneira de, a longo prazo, favorecer o planeta e até economizar.

Achar que fumar socialmente é ok

Não importa se você só fuma quando bebe, ou se não fuma todos os dias – o hábito de fumar, seja ela com a frequência que for, provoca males tremendos à saúde, ameaçando nosso bem estar e nossa vida.

Não dormir direito

Deitar-se muito tarde e acordar cedo frequentemente derruba nosso bem estar, nosso humor e nossa saúde. Organizar o cronograma diário para conseguir dormir o suficiente é urgente conforme os 30 anos se aproximam.

Matar todas as suas plantas

Plantas decoram, elevam o espírito e melhoram a aparência de uma casa – mas são também uma responsabilidade. Cuidar delas e molha-las de acordo suas necessidades é algo simples, mas que muitos não fazem – e que precisa ser feito.

Fazer coisas por achar que você “tem que” fazer

É claro que muitos compromissos, por mais chatos que sejam, precisam ser realizados. Mas outros, como festas e eventos sociais, não são obrigatórios. Não devemos fazer o que não queremos, especialmente com nosso tempo livre, somente por termos a impressão de que “temos que” fazer.

Colocar sua saúde física à frente da saúde mental

Dietas e exercícios são fundamentais, mas é importante lembrar que o equilíbrio entre o físico e o mental deve ser nosso verdadeiro objetivo em se tratando de cuidarmos de nós mesmos. Afinal, se um lado estiver pior, o outro acaba piorando junto.

Seguir dietas loucas

Alimentar-se bem, de forma saudável sempre, preocupando-se com a qualidade do que se ingere e lembrando de não exagerar quase sempre é o suficiente – e se violentar, seja como for, através da alimentação em nome de padrões ou da própria paranoia é algo que deve ficar no passado.

Não saber cozinhar

Aprender a cozinhar e preparar refeições para si, além de ser divertido, é um hábito saudável mentalmente que facilita em muito a saúde física também. Assim, afinal, sabemos quais ingredientes estamos de fato ingerindo, podemos controlar o que comemos, e ainda economizamos um bocado.

Conviver com pessoas que nos diminuem

Gastar energia com quem nos tira ainda mais energia, autoestima e prazer não faz o menor sentido. Melhor ter menos e melhores amigos – e gastar seu tempo com quem se ama e te faz bem – do que insistir em algo ou alguém que te derruba.

Não utilizar produtos de limpeza ecologicamente corretos

Proteger o meio ambiente também é palavra de ordem, e é possível faze-lo em nossos hábitos cotidianos. Os produtos de limpeza são um dos poluentes mais ativos do mundo e, além de ser bom para nossa saúde, é bom para a saúde do planeta migrar para os produtos ecologicamente corretos.

Tentar agradar todo mundo o tempo todo

Não saber dizer não, ter de mentir ou se violentar para agradar a todos é uma maneira não só de acabar por desagradando quem não merecia, como também de desagradar a si. Balancear tal questão, dizendo um eventual não e se preservando, é, por fim, a melhor maneira de realmente agradar.

Evitar conversas importantes

Mesmo que sejam duras ou até chatas, as conversas importantes são o que melhor nos permitem mudar, enfrentar medos, dilemas, resolver problemas e ajudar a quem se precisa. O alivio posterior é tamanho, que a eventual dificuldade no durante de tais conversas se torna um mero detalhe.

Estabelecer metas impossíveis

Além de nos frustrarem, metas impossíveis podem muitas vezes nos atrapalhar para realizarmos aquilo que realmente somos capazes. Melhor pensarmos objetivamente naquilo que podemos fazer, do que estarmos sempre sob a pressão da perfeição, do que seria ideal, do que seria o máximo a se conquistar.

Não visitar seus parentes mais velhos

Sejam seus pais, seu avós ou bisavós, o fato é que além de fazerem um bem danado para a gente, nós também fazemos bem a eles. Lembrando que os mais velhos não estarão por aqui para sempre, nunca é tarde para uma visita, ou ao menos um telefonema, às pessoas de nossas famílias que amamos.

Comparar sua vida com a vida alheia

Pode ser difícil, mas é fundamental parar de comparar a si mesmo com os outros. E para tal, mudar a maneira com que olhamos as redes sociais pode ser o caminho. Ali não é a vida real e, assim como em revistas, filmes ou séries, tudo não passa de uma cena – na vida real, as coisas são mais complicadas para todos.

Não falar sobre sua saúde mental

Admitir que não se está bem, especialmente para quem amamos e confiamos, é o melhor caminho não só para melhorarmos de eventual questão de nossa saúde mental, como também para estreitar laços com tal pessoa. Estar triste, aflito, confuso, ou mesmo em sofrimento mental, é normal – e única saída muitas vezes é mesmo pedir ajuda.

Não beber água

Essa não só é fácil como é saborosa – e a diferença pode ser imensa. Beber muita água faz bem para seus rins, sua pele e sua saúde como um todo. É preciso incluir a água em nosso dia a dia, não esperar estar morrendo de sede para beber um copo, e jamais substituir a água por outras bebidas em nosso cotidiano.

Ler pouco

Ler é um hábito relaxante, educativo, que muito nos ensina sobre nós mesmos, que abre nossa mente e amplia nossas visões necessariamente – coisa que série nenhuma no Netflix não consegue chegar perto. O bem para nossa saúde mental e nossa inteligência que os livros trazem faz desse um hábito urgente e para a vida toda.

Não cuidar dos seus dentes

Escova-los duas vezes ao dia, ir ao dentista, passar fio dental, não podem ser tratados como hábitos opcionais. Para além das dores eventuais e dos problemas que podem causar, os dentes formam nossa autoestima e investir neles agora pode economizar muita dor de cabeça e dinheiro no futuro.

Se preocupar demais com o que os outros pensam

Um dos mais difíceis e comuns hábitos, preocupar-se demais com o que os outros pensam é normal entre os jovens. Trata-se, no entanto, somente de um imenso desperdício de energia. É claro que não devemos nos alienar completamente, e é impossível deixar absolutamente de olhar para o que os outros pensam – mas a medida saudável de tal preocupação é a diferença em um hábito que pode nos derrubar.

Publicidade Anuncie

© fotos: divulgação


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Pílulas ‘milagrosas’ prometem acalmar quem sofre de ódio crônico nas redes sociais